‘A viagem’ estreia no Globoplay; relembre novela sobre vida após a morte que foi sucesso de audiência


Trama foi uma das recordistas do horário das 19h. História de Ivani Ribeiro teve Guilherme Fontes, Christiane Torloni, Antonio Fagundes, Miguel Falabella, Andrea Beltrão e Laura Cardoso. Antonio Fagundes e Christiane Torloni em ‘A Viagem’, 1994
Bazilio Calazans/Globo
A novela “A viagem” estreia nesta segunda-feira (2) no Globoplay. Exibida em 1994, a obra de Ivani Ribeiro abordava o tema da vida após a morte, inspirada na filosofia de Allan Kardec, e foi uma das recordistas de audiência no horário das 19h.
Para entrar no clima, o G1 relembra alguns dos principais momentos, além de curiosidades, com dados do Memória Globo (leia mais ao fim da reportagem).
Webdoc novela – A Viagem (1994)
O personagem que conduz as tramas é Alexandre (Guilherme Fontes). Rico e desajustado, ele tenta roubar o cofre da empresa em que trabalha, mas é pego em flagrante e entregue à polícia pelo irmão Raul (Miguel Falabella), e o cunhado, Téo (Maurício Mattar). Além disso, é abandonado por sua namorada, Lisa (Andréa Beltrão), e não consegue advogado para defendê-lo.
Alexandre é condenado e, sem esperança, comete suicídio na prisão. A partir de então, seu espírito passa a infernizar a vida de todos que julga responsáveis por seu trágico destino.
Maurício Mattar e Guilherme Fontes em ‘A Viagem’, 1994
Bazilio Calazans/Globo
O casal principal é formado por Diná (Christiane Torloni) e Otávio Jordão (Antônio Fagundes). Ela, irmã de Alexandre, implora para que o advogado o defenda. Ele, amigo de uma das vítimas do vilão, se recusa. Quando Alexandre se mata, Diná culpa Otávio, mas isso não impede que os dois se apaixonem.
Adepto do espiritismo e amigo da família, o médico Alberto (Cláudio Cavalcanti) percebe que todos os conflitos são causados por influência do espírito de Alexandre e resolve prestar sua ajuda. Com o apoio das mulheres da família, ele realiza reuniões mediúnicas e tenta orientar o espírito atormentado do moço.
No elenco, estão também Laura Cardoso, Felipe Martins, Thaís de Campos, Yara Cortes, Lucinha Lins, Ary Fontoura, Nair Bello e Eduardo Galvão, entre outros.
Curiosidades
Tânia Scher, Cláudio Cavalcanti, Ary Fontoura e Suzy Rego em ‘A Viagem’, 1994
Bazilio Calazans/Globo
O sucesso da trama fez com que a venda de livros sobre espiritismo aumentasse em 50%, segundo dados levantados na época por livrarias especializadas.
A equipe de cenografia produziu 50 cenários e mais de 200 ambientes especialmente para a novela, ambientada no Rio de Janeiro.
“A Viagem” precisou ser produzida em 20 dias, porque houve um atraso na novela que estrearia em seguida no horário. Segundo Wolf Maya, isso só foi possível porque os cenários do Céu e do Inferno só surgiriam na trama depois do capítulo 60, dando tempo à equipe de produzir as cenas.
Laura Cardoso lembra que, para transmitir credibilidade ao telespectador, ensaiava exaustivamente as cenas em que sua personagem, Guiomar, era obsidiada pelo espírito de Alexandre. Segundo a atriz, algumas crianças chegavam a ter medo dela por causa das cenas em que Guiomar assumia uma expressão de ódio.
A Viagem: Alexandre no Vale dos Suicidas
Cláudio Cavalcanti diz que recebia muitas cartas do público, que dizia se sentir reconfortado por suas palavras na novela.
A trilha internacional fez sucesso e vendeu mais de 600 mil cópias, com músicas de Julio Iglesias, Elton John, Paul Young, The Pretenders e Toni Braxton.
“A Viagem” foi vendida para Bolívia, Chile, Costa Rica, Equador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Rússia, Uruguai e Venezuela, entre outros países.
Guilherme Fontes, Christiane Torloni, Cláudio Cavalcanti e Yara Cortes em ‘A Viagem’, 1994
Bazilio Calazans/Globo