A cerca de 2 meses do Enem, chefe de gabinete do Inep é exonerado


Alexandre Bastos Peixoto havia sido convidado pelo presidente da autarquia para ocupar o cargo. Ele foi substituído por Álvaro Luís Kohn Parisi. Alexandre Peixoto foi exonerado da chefia de gabinete do Inep
Reprodução/Inep
A pouco mais de 2 meses do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o chefe de gabinete do órgão responsável pela prova foi exonerado.
Alexandre Bastos Peixoto ocupava a função no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) desde 14 de maio, depois de ser convidado pelo presidente da autarquia, Danilo Dupas Ribeiro.
LEIA TAMBÉM:
INSCRIÇÕES ABERTAS: ‘novos’ isentos farão Enem em janeiro
SEM NOVAS VAGAS: MEC quer dividir institutos federais para ‘criar’ novas unidades
REDAÇÕES NOTA MIL: veja exemplos do Enem 2020
Peixoto era servidor público e atuava no governo federal desde 2002. Imediatamente antes de assumir a chefia de gabinete do Inep, trabalhava na Secretaria Nacional de Proteção Global do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.
Segundo a edição desta quarta-feira (15) do Diário Oficial da União (DOU), o substituto é Álvaro Luís Kohn Parisi.
O G1 entrou em contato com o Inep para saber qual o currículo de Parisi e por que motivo a exoneração ocorreu. Não houve resposta até a última atualização desta reportagem.
Responsabilidades da chefia de gabinete
O chefe de gabinete do Inep precisa entender de burocracia pública. Ele é responsável por:
assessorar o presidente da autarquia;
gerenciar acordos sobre as avaliações educacionais e base de dados;
auxiliar o alinhamento entre o instituto e as políticas de governo;
propor ações que fortaleçam o órgão;
realizar a interlocução com o Ministério da Educação (MEC);
atender aos parlamentares sobre demandas internas;
cuidar da comunicação interna e externa.
G1 Enem no Youtube
Toda quinta-feira, às 14h, você pode conferir uma live do “G1 Enem” no Youtube. Assista abaixo à última edição, sobre redações nota mil:
Vídeos de Educação