51 novos agrotóxicos são liberados no Brasil

Nesta segunda-feira, 22 de julho, o Ministério da Agricultura aprovou o registro de mais 51 agrotóxicos, totalizando a liberação de 262 substâncias somente neste ano. Assim, 2019 tem sido considerado o período de maior liberação de pesticidas.

O princípio ativo sulfoxaflor está presente em 6 dos 7 agrotóxicos formulados; ou seja, aqueles que podem ser facilmente encontrados em lojas de produtos agrícolas. Este ativo controla e mata insetos que se alimentam de frutas e grãos, como mosca branca e abelha.

Devido a isso, estudos internacionais têm reivindicado o uso do sulfoxaflor em lavouras, uma vez que a substância está ligada à redução de enxames de abelhas e tem contribuído para sua extinção. Em contrapartida, o governo brasileiro argumenta que o uso do princípio ativo obedecerá a orientações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama).

Dentre elas, estão regras como não aplicar o sulfoxaflor em períodos em que as plantas florescem; e seguir as distâncias mínimas e dosagens máximas para que as abelhas não-apis (sem ferrão) estejam protegidas.

Para que um agrotóxico seja liberado, é necessária a autorização por três órgãos oficiais: a Anvisa, que avalia os riscos à saúde; o Ibama, que verifica perigos ambientais; e o Ministério da Agricultura, que checa se a substância é de fato eficaz no combate a pragas e doenças no campo.