Yellow e Grin repassarão multas para usuários de patinetes elétricos em SP


Empresas dizem que pretendem discutir com a Prefeitura ajustes na regulamentação definitiva do veículo. Prefeitura de São Paulo decide impor regras para quem usa patinete elétrico
A empresa de compartilhamento de patinetes elétricos Grow afirmou nesta terça-feira (14) que repassará o valor de multas que forem aplicadas contra a companhia pela Prefeitura de São Paulo por conta de usuários do serviço que descumprirem as regras anunciadas na segunda (13).
Apesar disso, a companhia, resultado da união da mexicana Grin com a brasileira Yellow, vai tentar discutir com a administração municipal ajustes na regulamentação definitiva dos patinetes na cidade, que deve ser concluída em até 90 dias.
Segundo Marcelo Loureiro, porta-voz da Grow, a empresa irá propor para a Prefeitura outras maneiras, antes da aplicação de multa, para se repreender usuários que desrespeitarem as regras.
Dentre as alternativas que a empresa quer discutir com a Prefeitura estão obrigar o usuário a ver vídeos informativos e, em caso de reincidência, exigir que o usuário faça testes físicos conduzindo o patinete.
O uso obrigatório do capacete é outro ponto dos ajustes que a Grow deseja fazer na regulamentação. “Não é a melhor forma de conscientizar ou educar o usuário, até porque o capacete é um item de uso pessoal”, disse o porta-voz.
Regras
No início da semana, Prefeitura de São Paulo anunciou decreto, publicado na terça, que proíbe o uso dos patinetes elétricos em calçadas e em vias da cidade que tenham limite de velocidade superior a 40 km/h, além de determinar a obrigatoriedade de uso de capacete pelos usuários. As multas por descumprimento podem varias de R$ 100 a R$ 20 mil (saiba mais abaixo).
Regras para o uso de patinetes na cidade de São Paulo
Wagner Magalhães/Arte G1
Patinete elétrico: saiba como andar