Volta às aulas presenciais: como será o 2º semestre nas escolas do Rio


Colégios municipais e estaduais que funcionam na capital estão em período de recesso. As aulas na rede estadual, retornam na próxima segunda-feira (26). Já a rede municipal do Rio volta no dia 2 de agosto. Todas as escolas continuarão oferecendo a opção de ensino remoto. Sala de aula com distanciamento entre alunos na reabertura das escolas no Rio de Janeiro.
Reprodução/Jornal Nacional
O início do segundo semestre do ano letivo para os estudantes do Rio de Janeiro será com aulas presenciais. Os colégios das redes estadual e municipal estão em período de recesso, mas retomam suas atividades nos dias 26 de julho e 2 de agosto, respectivamente, seguindo as regras de distanciamento e de higiene contra a proliferação da Covid-19.
Tanto o estado quanto o município seguirão oferecendo a possibilidade de aulas à distância.
No município do Rio, as aulas presenciais foram retomadas em março, de forma escalonada, entre as escolas que cumpriam os protocolos sanitários determinados pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19.
Antes do período de férias, 98% das unidades da rede municipal de ensino já funcionavam com atividades presenciais. Isso quer dizer que 98,4% dos alunos matriculados em escolas do município já contavam com as aulas presenciais antes do recesso. São estudantes do berçário ao Ensino de Jovens e Adultos.
Contudo, é importante destacar que o ensino presencial é opcional em toda a rede municipal. A decisão pela aula presencial ou à distância ficará a cargo de pais e alunos. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, 78% dos responsáveis desejam o retorno presencial.
Pais reclamam do ensino remoto da rede municipal do Rio
Ministro da Educação defende retorno às aulas presenciais
Para quem optar pelo ensino à distância, a secretaria informou que vai continuar oferecendo videoaulas na internet ou pelo programa Rioeduca, na TV aberta (TV Escola, canal 2.3) e fechada (NET/Claro, canal 15; Claro TV, canal 8; Oi TV, canal 25; Sky, canal 21; e Vivo, canal 7).
As videoaulas do Rioeduca também ficam disponíveis no canal da MultiRio no YouTube.
Escolas estaduais
Segundo a Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (Seeduc), as escolas da rede estadual vão condicionar a liberação das atividades presenciais em suas unidades aos indicadores de proliferação da Covid-19.
A presença de alunos e professores nas escolas será regulada pelas regras da Secretaria de Estado de Saúde (SES).
“A partir das bandeiras de risco laranja, amarela e verde, as escolas estaduais podem desenvolver atividades pedagógicas com os estudantes que tenham interesse em frequentar aulas presenciais, mediante a capacidade física da unidade, em sistema de rodízio, respeitando as normas de distanciamento”, explicou, em nota, a secretaria de educação.
Mapa de Risco de Covid do Estado, no dia 14 de julho
Divulgação
De acordo com a última atualização do Mapa de Risco de Covid do Estado, no dia 14 de julho, a capital apresentava bandeira laranja, com risco moderado de contrair a doença.
Com essa indicação, as escolas públicas do ensino fundamental da capital poderão funcionar com até 50% da sua capacidade.
Regras para o ensino fundamental:
Bandeira laranja – 50% da capacidade
Bandeira amarela – 75% da capacidade
Bandeira verde – 100% da capacidade
Já no ensino médio, a regra muda um pouco. Caso a bandeira laranja seja mantida até a volta às aulas, as unidades do ensino médio vão poder funcionar com 40% da sua capacidade total.
Regras para o ensino médio:
Bandeira laranja – 40% da capacidade
Bandeira amarela – 60% da capacidade
Bandeira verde – 100% da capacidade
Escolas particulares
Segundo a Secretaria Estadual de Educação, as escolas particulares também estão autorizadas a adotar as aulas presenciais, o que já acontecia no primeiro semestre do ano.
As unidades deverão funcionar seguindo as regras e protocolos que visem evitar a propagação da Covid-19.
Às autoridades de saúde e de vigilância sanitária do município são responsáveis por fiscalizar o cumprimento dos protocolos sanitários, como distanciamento seguro; oferta de álcool 70º em gel; bebedouros adaptados, entre outras normas.