Volkswagen revela o T-Roc Cabriolet, um SUV conversível


De acordo com a marca, a capota leva 9 segundos para ser aberta ou fechada, mesmo com o carro em movimento, a até 30 km/h. Volkswagen T-Roc Cabriolet
Divulgação/Volkswagen
Se você não aguenta mais nem ouvir falar em SUVs, é bom respirar fundo e aceitar a tendência do mercado, que busca cada vez mais opções para o segmento. É o caso do Volkswagen T-Roc, o “irmão” maior do T-Cross, que acaba de ganhar uma configuração conversível.
Um SUV conversível não é bem novidade. O primeiro foi o Nissan Murano CrossCabriolet, apresentado em 2011. Depois dele, em 2015, a Land Rover revelou o Range Rover Evoque Convertible – que chegou ao Brasil apenas um ano depois.
Volkswagen T-Roc Cabriolet
Divulgação/Volkswagen
Porém, mesmo não se revelando como algo inédito, o T-Roc Cabriolet é o primeiro utilitário esportivo a ter carroceria “sem teto” em um segmento não-premium.
De acordo com a Volkswagen, a capota de tecido leva 9 segundos para ser aberta ou fechada, mesmo com o carro em movimento, a até 30 km/h.
Porém, o teto toma um bom espaço do dedicado às bagagens: são 284 litros no porta-malas, contra 445 litros da versão “convencional” do T-Roc. O acesso ao banco traseiro também fica prejudicado e é feito rebatendo os dianteiros, como em qualquer carro de 2 portas.
T-Roc Cabriolet leva quatro ocupantes – para acessar os bancos traseiros, o processo é o mesmo de qualquer carro de 2 portas
Divulgação/Volkswagen
Duas opções de motorização estarão disponíveis, ambas acompanhadas de câmbio manual de 6 marchas: 1.0 turbo de três cilindros com 115 cavalos de potência e 20,4 kgfm de torque, e 1.5 turbo de 150 cavalos e 25,5 kgfm.
Como opcional para o motor mais potente, a marca oferece a transmissão automática de dupla embreagem com 7 marchas.
Interior do T-Roc lembra o da atual geração do Golf
Divulgação/Volkswagen
Acesso ao porta-malas fica mais restrito
Divulgação/Volkswagen