VLI e Prefeitura tentam acordo sobre lei que restringe tráfego de locomotivas em Formiga 

Regulamento foi publicado no dia 12 de fevereiro e começa a valer em abril.  A lei que limita o tráfego de locomotivas em Formiga começa a valer a partir de abril. Entretanto, a empresa Valor da Logística Integrada (VLI) Multimodal S.A., que controla a Ferrovia Centro-Atlântica e é responsável pelas locomotivas na cidade, tenta um acordo com a Prefeitura sobre as exigências da proposta.
Em nota, a VLI informou que avalia as medidas jurídicas cabíveis em relação à legislação municipal. O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Formiga para mais detalhes sobre as negociações e aguarda retorno.
A regulamentação
A lei sancionada no dia 12 de fevereiro pelo prefeito Eugênio Vilela (PP) proíbe o uso da linha férrea das 22h às 6h e reduz de 10 para quatro o número de vagões utilizados. Ainda de acordo com a regulamentação, a velocidade das locomotivas também fica limitada a 10 km/h.
Caso a medida seja descumprida, a lei prevê multa de R$ 23.944. Se a infração persistir, a punição pode chegar a R$ 47.888.
Conforme o autor do projeto, o vereador Mauro César Alves de Sousa (SD), o tráfego noturno das locomotivas causa poluição sonora e prejudica a estrutura de residências próximas à linha férrea.
“A empresa que administra os trens não faz a manutenção do serviço e nós não podemos arcar mais com essa responsabilidade que, na realidade, não é do município. Queremos que a lei seja cumprida”, afirmou o vereador.
De acordo com a VLI, o trecho férreo em Formiga é responsável pela movimentação de insumos minerais, entre Minas Gerais e Rio de Janeiro.
Representantes da empresa participaram de uma reunião na sexta-feira (23) para tratar do assunto. O encontro contou com a presença do secretário municipal de Obras, o superintendente municipal de Trânsito, e o vereador que propôs a lei.

Powered by WPeMatico