Vestibular Indígena da Unicamp tem recorde de inscritos com 1.697 candidatos; veja cursos mais disputados


Terceira edição do vestibular para disputa de cadeira na Universidade Estadual de Campinas conta com 88 vagas. Total de cadastros é 1,3% maior do que o registrado em 2020, que teve 1.675 inscrições. Candidatos durante vestibular indígena 2020 da Unicamp
Antoninho Perri
A terceira edição do Vestibular Indígena para ingresso na Unicamp, em Campinas (SP), registrou número recorde de inscritos em 2021. São 1.697 candidatos, que vão disputar 88 vagas na instituição estadual. Veja os cursos mais concorridos e a relação candidato/vaga abaixo.
De acordo com a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), o total de cadastros é 1,3% maior do que o registrado em 2020, que teve 1.675 inscrições.
A cidade com maior número de candidatos é São Gabriel da Cachoeira (AM), com 717; 40% a mais do que no ano passado. Em segundo lugar, Tabatinga (AM) inscreveu 636 pessoas para a prova, 24% a menos que há um ano.
A prova acontece no dia 11 de abril em seis cidades: Bauru (SP), Campinas (SP), Caruaru (PE), Dourados (MS), São Gabriel da Cachoeira (AM) e Tabatinga (AM). O ingresso dos aprovados na universidade será em agosto.
Inscritos por curso
A formação em nutrição foi a mais procurada no vestibular deste ano, com 178 candidatos. Em seguida, engenharia da computação – nova opção para 2021 – teve 137 interessados. Veja, abaixo, os cursos mais concorridos
Nutrição: 178
Engenharia da computação (integral): 137
Administração: 125
Pedagogia (integral): 112
Educação física (integral): 79
Administração pública: 79
Engenharia elétrica (integral): 60
Ciência da computação: 58
Arquitetura e urbanismo: 38
A maioria dos cursos oferecidos abriram duas vagas para indígenas, mas há exceções como uma vaga para ciências do esporte e cinco chances para tecnologia em saneamento ambiental. Veja a relação candidato/vaga no quadro abaixo:
Vestibular Indígena Unicamp 2021 – Relação candidato/vaga
Prova de múltipla escolha e redação
De acordo com a Comvest, a prova será em língua portuguesa, composta de questões de múltipla escolha e uma redação. O conteúdo será dividido da seguinte forma:
Linguagens e códigos (14 questões)
Ciências da natureza (12 questões)
Matemática (12 questões)
Ciências humanas (12 questões)
Redação
O programa de estudos para a prova pode ser conferido no Edital, na página da Comvest.
Comprovação de etnia
A Comissão ressalta que todos os candidatos inscritos no Vestibular Indígena da Unicamp precisam comprovar que pertencem a uma das etnias indígenas do território brasileiro, por meio da documentação especificada no Edital, a ser entregue no dia da prova do vestibular.
“Outro pré-requisito é que os candidatos tenham cursado o ensino médio integralmente na rede pública (municipal, estadual, federal), ou em escolas indígenas reconhecidas pela rede pública de ensino ou tenham obtido a certificação do ensino médio pelo ENEM ou exames oficiais (por exemplo, o Enceja) e não tenham cursado nenhum período do ensino médio na rede particular.”, informou a Unicamp.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas