Veja o detalhamento ponto a ponto das mudanças da reforma da previdência e sua economia

Ministério da Economia divulgou detalhamento de dados sobre a proposta de reforma da Previdência Social, que estavam em ‘nível de acesso restrito’. Economia total prevista subiu de R$ 1,16 trilhão, número divulgado em fevereiro, para R$ 1,236 trilhão em 10 anos. O Ministério da Economia divulgou nesta quinta-feira (25) o detalhamento da economia prevista com a proposta de reforma da Previdência Social – encaminhada ao Legislativo em fevereiro e aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados nesta semana.
O texto ainda precisa passar pelo crivo dos plenários da Câmara e do Senado Federal.
Os números estão em estudo que serviu de base para a proposta de reforma em tramitação no Congresso e que foi tornado público pelo governo nesta quinta-feira (25). O Ministério da Economia estava restringindo o acesso a esses dados, o que gerou críticas, e só liberou a divulgação após apelos de políticos.
“Não estamos alterando nossa posição desde a entrega do projeto da PEC ao Congresso Nacional. Naquela ocasião, dissemos que, por ocasião na comissão de mérito, iriamos apresentar os dados desagregados”, afirmou o secretário-especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho.
O governo informou que a economia total prevista com a proposta de reforma da Previdência Social subiu de R$ 1,16 trilhão, número divulgado em fevereiro, para R$ 1,236 trilhão.
Economia estimada, em 10 anos, ponto a ponto:
Setor privado (RGPS) total: R$ 807,9 bilhões
Setor privado (RGPS) rural: 92,4 bilhões
Aposentadoria por idade: R$ 66,4 bilhões
Pensão por morte: R$ 26,1 bilhões
Setor privado (RGPS) urbano: 743,9 bilhões
Aposentadoria por idade: R$ 128 bilhões
Aposentadoria por tempo de contribuição: R$ 432,9 bilhões, sendo R$ 12 bilhões para mudanças para os professores e R$ 57,6 bilhões por aposentadoria “especial”
Aposentadoria por invalidez: R$ 79,4 bilhões
Pensão por morte: R$ 111,7 bilhões
Outros: -R$ 8,2 bilhões
Novas alíquotas de contribuição: -R$ 28,4 bilhões
Setor público (RPPS da União) total: R$ 224,5 bilhões
Novas alíquotas de contribuição: R$ 27,7 bilhões
BPC/Loas idoso: R$ 34,8 bilhões
Focalização do abono salarial: R$ 169,9 bilhões
O ministro da Economia, Paulo Guedes, tem defendido que os valores economizados com as mudanças previdenciárias fiquem, ao menos, em R$ 1 trilhão nos próximos dez anos.
Esse é o patamar que ele considera necessário para implementar o regime de capitalização – pelo qual cada trabalhador contribui para sua própria aposentadoria.
Nesta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que, se a reforma da Previdência representar uma economia menor de R$ 800 bilhões em 10 anos, o Brasil ficará em situação parecida com a Argentina.