Unidades de teste de celulares dobravéis da Samsung têm problemas na tela


Pelo menos quatro jornalistas que testavam produto nos Estados Unidos relataram alguma falha na tela flexível. Empresa diz que irá inspecionar os aparelhos. Tela interna do Galaxy Fold tem 7,6″.
Divulgação/Samsung
Pelo menos quatro jornalistas dos Estados Unidos que testavam o Galaxy Fold, celular com tela dobrável da Samsung lançado em fevereiro deste ano, apontaram problemas na tela com apenas alguns dias de uso. Os modelos de teste do aparelho foram enviados para a imprensa americana no início desta semana.
Com preço salgado e seis câmeras, Samsung lança celular dobrável
O modelo, que sai por US$ 1.980 nos EUA, apresentou diferentes problemas em cada um dos casos. Para Dieter Bohn, jornalista do portal “The Verge”, a tela apresentou um tipo de protuberância após alguns dias de uso. Steve Kovach, editor da rede “CNBC”, postou imagens da tela com uma falha na dobra e mau funcionamento.
Initial plugin text
Initial plugin text
Em nota enviada ao G1, a Samsung afirmou que recebeu relatos sobre a tela principal em um “número limitado” de amostras do Galaxy Fold, que foram fornecidas à mídia internacional. “Vamos inspecionar minuciosamente essas unidades de teste pessoalmente para determinar a causa do ocorrido”, afirmou a companhia sul-coreana.
De acordo com a empresa, alguns dos jornalistas removeram uma película de proteção que não deve ser retirada. Foi o caso do youtuber de tecnologia Marques Brownlee e do repórter do portal “Bloomberg”, Mark Gurman, que tiraram a proteção dos aparelhos.
Segundo os jornalistas, não há nenhum aviso claro no produto de que essa película não deve ser removida.
Initial plugin text
“A tela principal do Galaxy Fold possui uma camada superior de proteção, que faz parte da estrutura do display projetada para proteger a tela contra arranhões acidentais. Remover a camada protetora ou adicionar adesivos à tela principal pode causar danos. Garantiremos que essa informação seja claramente explicada aos nossos consumidores”, afirmou a Samsung.
Apesar do ocorrido, a companhia não mudou a data do lançamento do aparelho nos EUA, que acontece na próxima sexta-feira (26). As ações da Samsung caíram 3,08%.