Unicamp: conselho vota indicações de novo reitor para ‘cúpula’ no mandato até 2024


Órgão deve analisar e homologar nesta terça-feira (27) seis nomes indicados pelo reitor, Antonio José de Almeida Meirelles, o Tom Zé, para cargos de coordenação-geral e pró-reitorias. Praça em frente ao prédio da reitoria da Unicamp, em Campinas
Fernando Pacífico / G1 Campinas
O Conselho Universitário da Unicamp (Consu) vota na manhã desta terça-feira (27) as indicações feitas pelo novo reitor, Antonio José de Almeida Meirelles, o Tom Zé, para a “cúpula” da universidade estadual durante o mandato que começou em 19 de abril e vai até dezembro de 2024. Ao todo são seis nomes:
Coordenadora-geral: Maria Luiza Moretti – vice reitora (Faculdade de Ciências Médicas)
Pró-reitor de Desenvolvimento Universitário: Fernando Sarti (Instituto de Economia)
Pró-reitor de Pesquisa: João Marcos Travassos Romano (Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação)
Pró-reitor de Graduação: Ivan Felizardo Contrera Toro (Faculdade de Ciências Médicas)
Pró-reitor de Extensão e Cultura: Fernando Antonio Santos Coelho (Instituto de Química)
Pró-reitora de Pós-Graduação: Rachel Meneguello (Instituto de Filosofia e Ciências Humanas)
O Consu é o órgão máximo de deliberação da instituição e a sessão está marcada para 9h. Ele é formado por 77 membros, entre eles, diretores de faculdades e dos colégios técnicos da Unicamp, além de representantes dos professores, de servidores técnico-administrativos, dos estudantes da graduação e pós, e da comunidade externa. A homologação depende de votação por maioria simples.
Em entrevista ao G1, antes da posse, Tom Zé afirmou que buscaria uma equipe para contemplar as quatro áreas de ensino da universidade – exatas, humanas, biológicas e tecnológicas – e ainda ampliar os diálogos. “Estamos expressando a importância de valorizar pesquisadores e professores, a inclusão sob a perspectiva étnico-racial e a abertura para um contato mais próximo com a população.”
O novo reitor da Unicamp, Tom Zé
Antonio Scarpinetti / Unicamp
Tom Zé chegou ao cargo após vencer a consulta acadêmica e ser nomeado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Em entrevista ao G1, ele defendeu mudanças na gestão do setor de saúde, destacou que a Unicamp deve ter aproximação com o mercado e colocou a promoção interna como uma das metas durante a gestão que conduzirá ao lado da médica e vice-reitora Maria Luiza Moretti.
Mudanças na saúde, foco em mercado e valorização interna; veja propostas de Tom Zé
A Unicamp em números
A universidade tem orçamento estimado em R$ 2,84 bilhões, incluindo R$ 208,6 milhões de uma reserva financeira com objetivo de cobrir déficit de anos anteriores e o total previsto neste exercício.
Atualmente, ela é responsável por 8% da pesquisa acadêmica no país e tem 37 mil alunos matriculados em 65 cursos de graduação e 158 de pós. Já o quadro de funcionários ativos é formado por aproximadamente 2 mil professores e 7,1 mil servidores técnico-administrativos.
Além dos campi instalados em Campinas (SP), Limeira (SP) e Piracicaba (SP), a universidade estadual também contabiliza as áreas de dois colégios técnicos – Cotuca (Campinas) e Cotil (Limeira) – além do Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas, em Paulínia (SP).
Playlist: tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.