Unicamp 2022: cursinhos dão dicas sobre uso de hora adicional na 1ª fase e Comvest descarta surpresas


Vestibular neste domingo (7) reúne 72 testes, começa às 13h e tem duração de cinco horas. Instituições de ensino destacam os conteúdos mais recorrentes e as expectativas para questões. Estudantes no campus da Unicamp, antes da pandemia da Covid-19
Antonio Scarpinetti / Unicamp
O acréscimo de uma hora para realização da 1ª fase do vestibular 2022 da Unicamp não resultará em surpresas ou mudança do nível de dificuldade da prova, segundo a comissão organizadora (Comvest). Em paralelo, professores de cursinhos relataram ao g1 expectativas para o exame e dão dicas para que os estudantes aproveitem da melhor forma esta extensão de tempo anunciada há nove dias.
A prova marcada para a tarde deste domingo (7) levará aos 63,2 mil candidatos inscritos 72 questões testes, cada uma delas com quatro alternativas, que devem ser resolvidas no período de cinco horas. Os portões abrem às 12h, e a aplicação do vestibular começa às 13h, segundo a universidade.
A Unicamp oferece 2.540 vagas em 69 cursos. O processo seletivo será aplicado em 31 cidades de São Paulo, além de Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Fortaleza (CE) e Salvador (BA).
O g1 terá neste domingo correção comentada e gabarito extraoficial da 1ª fase, após a prova.
‘Sem leitura contra o relógio’
O diretor da Comvest, José Alves de Freitas Neto, é categórico ao mencionar que a prova passará pelo conteúdo de todo ensino médio, sem que a abordagem seja diferente de anos anteriores. Segundo ele, o contexto associado à pandemia foi considerado para que a universidade elevasse o tempo.
“Candidatos mais ágeis terão um tempo a mais, vamos dizer assim, enquanto aqueles com mais dificuldades com o tempo, que queiram ler e reler, terão esta oportunidade. Qual é a grande questão do vestibular de 2022, considerando a pandemia e a realidade escolar? Temos que oferecer insumos, dar informações para que os candidatos possam ler e escolher as alternativas. A leitura não precisa ser contra o relógio”, destacou Freitas Neto.
A prova, explicou, demandará atenção sobre enunciados, mas o nível de dificuldade contempla desde questões chamadas de “mais fáceis” até as “mais difíceis”, consideradas necessárias para a seleção. Contudo, o diretor enfatizou que a Unicamp privilegia filtro de informações e respostas articuladas.
“A prova não é feita para ter surpresas. Todo conteúdo do ensino médio, os principais temas, são contemplados nas listas de conteúdos […] a prova tende a repetir modelos dos anos anteriores quanto à distribuição de temas. O que muda é o tipo de ênfase, a dica para uma boa prova é leitura atenta”, frisou Freitas Neto.
Estudantes no campus da Unicamp, em Campinas
Antonio Scarpinetti / Unicamp
Foco nas 4h
Para o professor de física e coordenador estratégico do curso pré-vestibular da Oficina do Estudante, Anderson Bigon Antunes Rodrigues, o período de quatro horas é adequado para o número de questões abordadas. Por outro lado, ele considera que a hora adicional visa permitir que os candidatos trabalhem melhor a prova, ainda em meio aos reflexos da pandemia, sem que o nível da prova mude.
“Imagino que o tempo está voltando a ser de cinco horas, porque no próximo ano a prova deve voltar a ser de 90 questões [total da edição 2019 do vestibular]”, pontuou ao mencionar que a mudança requer dos candidatos atenção para administração do novo tempo disponível para realizar o exame.
Para ele, o acréscimo pode ser usado para solucionar as perguntas que o candidato identifique como mais exigentes, seja por conta do processo de resolução ou em virtude de enunciados mais longos. Por outro lado, alerta que a estratégia de deixar “o gabarito por último” pode não ser a melhor escolha.
“A estratégia é preencher o gabarito dentro das quatro horas e deixar eventuais questões não resolvidas para o fim. A gente nunca incentiva que o gabarito seja marcado no final. Quando começa a ser preenchido durante a prova, há uma motivação, é uma geração de checar o que está sendo feito, isso dá confiança e o estudante entende que não precisa correr”, ressaltou o docente.
Prova trabalhosa
O diretor do Anglo Vestibulares, Daniel Perry, também acredita que o nível da prova da Unicamp será semelhante ao da edição anterior. Por outro lado, alerta os estudantes que ela deve ser trabalhosa.
“O acréscimo leva em consideração a conjuntura da pandemia, o contexto de dois anos em que os estudantes estão aprendendo majoritariamente por EAD [ensino a distância] e ocorreram muitas perdas pedagógicas. Isso significa que a prova não será mais difícil, mas indica que deve ser trabalhosa e vai exigir bastante leitura”, avaliou.
Para ele, a universidade também sinaliza que espera “muita atenção” do candidato durante a avaliação. “O tempo permite ao candidato explorar melhor cada questão. No que se refere ao tema e estilo das perguntas, a Unicamp tem um padrão consolidado há alguns anos e será mantido”, falou.
Conteúdo da prova
A prova tem o seguinte número de questões por matéria, cada uma delas com quatro alternativas:
12 de língua portuguesa e literatura;
12 de matemática;
8 de cada disciplina: biologia, física, geografia/sociologia, história/filosofia, inglês e química.
Obras literárias
Carta de Achamento do Brasil – Pero Vaz de Caminha;
Niketche – uma História de Poligamia – Paulina Chiziane;
Tarde – Olavo Bilac;
Bons dias – Machado de Assis;
Sonetos escolhidos – Luís de Camões;
Sobrevivendo no inferno – Racionais MC’s;
Conto: O seminário dos ratos – Lygia Fagundes Telles;
O marinheiro – Fernando Pessoa;
A falência – Júlia Lopes de Almeida;
O ateneu – Raul Pompeia;
A lista de aprovados nesta etapa será divulgada em 13 de dezembro, enquanto as avaliações da 2ª fase do exame estão programadas para os dias 9 e 10 de janeiro de 2022. Veja abaixo o calendário.
Dez cursos mais concorridos
medicina
arquitetura e urbanismo
ciência da computação
ciências biológicas
engenharia da computação
comunicação social – midialogia
farmácia
enfermagem
ciências econômicas
história
Calendário do vestibular
18/11: divulgação dos aprovados na prova de habilidades específicas em cursos de música;
13/12: publicação da lista de aprovados na 1ª fase, locais de prova da 2ª fase e notas de corte;
09 e 10/01/2022: aplicação de provas da 2ª fase;
13 a 15/01: provas de habilidades específicas para arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais e dança;
14/02: divulgação da primeira chamada de aprovados no vestibular;
15 a 17/02: matrícula on-line dos aprovados em primeira chamada;
O calendário completo está disponível no site da Comvest.
Initial plugin text
VÍDEOS: tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no g1 Campinas.
Veja mais notícias da região no g1 Campinas.