Unicamp 2022: contra Covid, 1ª fase mantém distância entre candidatos, telemedicina e cria nova regra para alimentação


Exame reúne 72 testes, começa às 13h e tem duração de cinco horas. Portões em locais de prova abrem às 12h; comissão organizadora espera reduzir índice de abstenção e destaca logística. Campus da Unicamp, em Campinas
Rafael Smaira/G1
A Unicamp criou um protocolo especial de biossegurança contra a Covid-19 para a 1ª fase do vestibular 2022, neste domingo (7). Além de manter um plantão por telemedicina em Campinas (SP), a comissão organizadora (Comvest) exige o distanciamento de 1 metro entre os candidatos, com exceção de Curitiba (PR) onde é de 1,5 metro, e tem nova regra para alimentação durante a prova.
A universidade oferece 2.540 vagas em 69 cursos. O exame reúne 72 questões testes e começa às 13h, com duração de cinco horas – uma a mais do que na edição anterior. Ele será aplicado em 31 cidades de São Paulo, Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Fortaleza (CE) e Salvador (BA).
Máscaras, álcool em gel e 1,7 mil salas
O diretor da Comvest, José Alves de Freitas Neto, ressaltou ao g1 que o uso de máscara pelo candidato é obrigatório desde a chegada até a saída do local de prova, assim como aplicação de álcool gel para higienização. O cuidado também vale para os 3 mil profissionais envolvidos na logística do vestibular, incluindo fiscais, auxiliares e pessoas responsáveis por serviços operacionais e apoio.
A universidade comprou 20 mil máscaras e 3 mil litros de álcool gel. Com isso, o objetivo é garantir segurança sanitária nas 60 unidades de ensino onde serão aplicadas provas aos 63,2 mil candidatos.
“A Comvest tem um dever de fazer um vestibular com toda responsabilidade e protocolos de biossegurança adequados ao momento em que estamos vivendo”, destacou Freitas Neto.
Segundo ele, o distanciamento entre candidatos é maior em Curitiba por conta da legislação válida para a cidade. Na capital paranaense, explicou, a aferição de temperatura também é compulsória.
O diretor contou que a redução do número de salas disponíveis para a prova, no comparativo com a edição anterior, ocorre por conta da redução no distanciamento entre candidatos nas demais cidades com avaliações e diminuição na quantidade de candidatos inscritos. Na edição 2021 do vestibular, a separação entre os estudantes foi fixada em 1,5 metro e a universidade somou 77,6 mil inscrições.
Com isso, o total de salas destinadas para a 1ª fase baixou de 3,3 mil para 1,7 mil e faz com que a média de alunos em cada uma aumente de 20 para 35, segundo Freitas Neto. Em contrapartida, o número ainda é superior aos 1,5 mil espaços contabilizados na edição 2019, com 72,8 mil inscritos.
O diretor da Comvest, José Alves de Freitas Neto
Antoninho Perri / Unicamp
Telemedicina e nova regra para alimentação
O diretor explicou que o plantão de telemedicina fica em Campinas, mas pode ser consultado pelos candidatos de todas as cidades onde a prova é aplicada. O recurso foi usado para atender uma candidata com suspeita de Covid-19 em Belo Horizonte (MG), na edição anterior do vestibular, e agora é destacado como um dos recursos importantes dentro do protocolo especial de biossegurança.
Com isso, o serviço pode ser solicitado por quem sinta algum sintoma ou se, eventualmente, apresente condição que incomode outro candidato – espirrar diversas vezes, por exemplo. “Pode ser uma atuação nossa. Mas, no contexto atual, considero que estamos mais seguros do que estávamos”, avaliou Freitas Neto ao lembrar que a maioria dos candidatos já recebeu duas doses da vacina contra Covid.
Embora os candidatos possam levar alimentos, há regras diferentes para consumo durante o vestibular. O estudante pode abaixar a máscara apenas de forma “momentânea” para isso.
“A nossa orientação é sempre do bom senso e fazer com que os candidatos se sintam confortáveis e em segurança para realização da prova. Se eventualmente alguém comer dentro da sala, o que nós permitimos: que possa beliscar, um chocolate, barrinha de cereal, mas você não pode abrir um lanche e comer dentro da sala. Se alguém for lanchar na sala, evidentemente será orientada a sair da sala para poder comer em local apropriado, ambiente livre, aberto. Se insistir, desrespeitar a norma, aí sim a pessoa será desclassificada porque será obrigada a sair da sala e deixar a prova”, destacou o diretor.
Aglomerações e baixa na abstenção
Outro pedido da instituição é para que os candidatos não se aglomerem nos acessos e mantenham distanciamento mínimo de 1 metro até a entrada na sala. Os portões abrem às 12h, mas, segundo Freitas Neto, pode haver antecipação caso haja seja verificado este problema nos locais de prova.
Em meio à redução de indicadores da Covid-19 no Brasil, a Unicamp também espera queda no índice de abstenção, que chegou a 13,8% na edição anterior, percentual 66% maior do que na edição 2019. A expectativa da Unicamp é se aproximar dos 10%, haja vista a média histórica e melhores condições.
A lista de aprovados nesta etapa será divulgada em 13 de dezembro, enquanto as avaliações da 2ª fase do exame estão programadas para os dias 9 e 10 de janeiro de 2022. Veja abaixo o calendário.
Conteúdo da prova
A prova tem o seguinte número de questões por matéria, cada uma delas com quatro alternativas:
12 de língua portuguesa e literatura;
12 de matemática;
8 de cada disciplina: biologia, física, geografia/sociologia, história/filosofia, inglês e química.
Obras literárias
Carta de Achamento do Brasil – Pero Vaz de Caminha;
Niketche – uma História de Poligamia – Paulina Chiziane;
Tarde – Olavo Bilac;
Bons dias – Machado de Assis;
Sonetos escolhidos – Luís de Camões;
Sobrevivendo no inferno – Racionais MC’s;
Conto: O seminário dos ratos – Lygia Fagundes Telles;
O marinheiro – Fernando Pessoa;
A falência – Júlia Lopes de Almeida;
O ateneu – Raul Pompeia;
Acesso ao campus da Unicamp, em Campinas
Antoninho Perri / Unicamp
Perfil dos inscritos
O número de candidatos inscritos no vestibular 2022 da Unicamp diminuiu 18,4% no comparativo com a edição anterior, marcada pelo recorde de 77,6 mil interessados. Além disso, segundo a Comvest, no atual processo seletivo o grupo de estudantes oriundos da rede pública chega a 30,5%, o menor percentual verificado desde 2017. À época, o indicador registrado pela universidade foi de 30,2%.
“Apesar da queda no número de candidatos, a Comvest manteve o índice de cerca de um terço de estudantes oriundos de escolas públicas, e o percentual de estudantes autodeclarados pretos e pardos próximo dos 20%”, diz nota da comissão sobre as estatísticas.
Dez cursos mais concorridos
medicina
arquitetura e urbanismo
ciência da computação
ciências biológicas
engenharia da computação
comunicação social – midialogia
farmácia
enfermagem
ciências econômicas
história
Calendário do vestibular
18/11: divulgação dos aprovados na prova de habilidades específicas em cursos de música;
13/12: publicação da lista de aprovados na 1ª fase, locais de prova da 2ª fase e notas de corte;
09 e 10/01/2022: aplicação de provas da 2ª fase;
13 a 15/01: provas de habilidades específicas para arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais e dança;
14/02: divulgação da primeira chamada de aprovados no vestibular;
15 a 17/02: matrícula on-line dos aprovados em primeira chamada;
O calendário completo está disponível no site da Comvest.
VÍDEOS: tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no g1 Campinas.