União Europeia chega a acordo para reduzir emissões em 55% até 2030


Bloco tem o objetivo de atingir a neutralidade de emissões até 2050. O acordo ainda precisa da aprovação formal dos Parlamentos e dos governos nacionais. União Europeia alcança acordo para redução de emissões de pelo menos 55% até 2030
Reuters/Yves Herman/File Photo
A União Europeia chegou a um acordo climático provisório para a redução de pelo menos 55% nas emissões líquidas de gases do efeito estufa até 2030. Além disso, o bloco tem o objetivo de atingir a neutralidade de emissões até 2050.
O acordo foi feito na véspera da reunião de cúpula organizada pelo presidente americano Joe Biden. O acordo ainda precisa da aprovação formal dos Parlamentos e dos governos nacionais.
EUA querem se engajar com Brasil e acordo sobre clima é possível, diz Ian Bremmer
Emissões globais de CO2 terão segundo maior aumento da história em 2021
Ricos do mundo precisam reduzir consumo para conter mudanças climáticas, diz grupo científico
“Nosso compromisso político de nos tornarmos o primeiro continente neutro para o clima até 2050 agora é também um compromisso legal. A lei climática coloca a UE em um caminho verde por uma geração ”, disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, na quarta-feira (20).
Se adotado globalmente, o caminho líquido zero até 2050 limitaria os aumentos da temperatura global a 1,5 grau acima dos níveis pré-industriais e evitaria os piores impactos das mudanças climáticas.
“Este é um momento marcante para a UE”, disse o chefe da política climática do bloco, Frans Timmermans, em um comunicado. “O acordo de hoje também reforça nossa posição global como líder no enfrentamento da crise climática.”
Metas mais ambiciosas
A meta de redução das emissões líquidas em toda a UE em pelo menos 55% até 2030, em relação aos níveis de 1990, substitui a meta anterior de redução de pelo menos 40%. Em 2019, as emissões da UE já eram 24% menores do que em 1990.
O Parlamento Europeu defendia queria uma meta maior: 60% até 2030. Já os ambientalistas disseram que o corte deveria ser de 65%.
O objetivo é garantir que a meta seja cumprida cortando as emissões de setores poluentes, em vez de depender da remoção de CO2 da atmosfera por meio de florestas e pântanos, que absorvem carbono.
VÍDEOS: Natureza e meio ambiente