União Europeia atualiza lista de países ‘seguros’ para entrada no território; Brasil continua de fora


Conselho Europeu retirou Montenegro e Sérvia da lista após altas nos casos de Covid-19. Lista vale como recomendação aos países do bloco, não obrigação. Passageiros aguardam nos quiosques de check-in de autoatendimento no terminal Orly 3 nesta sexta-feira (26) na reabertura do aeroporto
Eric Piermont / AFP
A União Europeia atualizou nesta quinta-feira (16) a lista de países considerados seguros para permitir a entrada nos territórios do bloco. O Brasil, com números ainda preocupantes do novo coronavírus, continua de fora.
Veja abaixo a lista atualizada de países que a UE recomenda a retirada de restrições de viagem:
Argélia
Austrália
Canadá
Coreia do Sul
Geórgia
Japão
Marrocos
Nova Zelândia
Ruanda
Tailândia
Tunísia
Uruguai
China — caso o governo chinês reabra as fronteiras para a UE, em reciprocidade
Deixaram a lista Sérvia e Montenegro — dois países dos Bálcãs que registraram aumentos nos casos de Covid-19 nos últimos dias. O sistema de saúde sérvio, inclusive, entrou em colapso, denunciam médicos. Embora ambas as ex-repúblicas iugoslavas fiquem na Europa, elas não pertencem à União Europeia.
Com a atualização, Canadá e Uruguai continuam como os dois únicos países nas Américas com recomendação de entrada irrestrita na União Europeia.
SAIBA MAIS: Por que o Uruguai é caso bem sucedido na América Latina
As recomendações também valem para a entrada em países não integrantes da União Europeia mas pertencentes ao espaço Schengen — de livre circulação. Isso inclui Islândia, Liechtenstein, Noruega, Suíça, além de Andorra, Mônaco, San Marino e Vaticano.
Recomendações da União Europeia
A lista vale como recomendação, e não obriga os integrantes do bloco a aceitá-la. Cada país vem adotando as próprias medidas de restrição ou aceite de estrangeiros durante a pandemia do novo coronavírus.
As listas são atualizadas a cada duas semanas. A União Europeia estabelece os seguintes critérios sobre a situação epidemiológica da Covid-19 para reabrir as fronteiras para determinados países:
Novos casos — O número de novos diagnósticos da doença por 100 mil habitantes nos 14 dias anteriores ao balanço deve estar próximo ou abaixo da média da União Europeia.
Tendência — Países devem apresentar tendência de queda ou de estabilidade no período de análise.
Resposta — O bloco também leva em conta as medidas tomadas por cada país, como grau de testagem, rastreamento de contatos, notificação, credibilidade das informações públicas e outros indicadores.
Initial plugin text