UFV adota medidas após cortes orçamentários previstos pelo MEC para 2021


Verba deve ser reduzida em cerca de 18% neste ano. Desde 2020, instituição realiza adequação do quantitativo de servidores terceirizados e outros. Veja mais informações. Universidade Federal de Viçosa
UFV/Divulgação
A Universidade Federal de Viçosa (UFV) divulgou, nesta semana, medidas para minimizar os cortes orçamentários previstos em 2021. Conforme a instituição, a verba deve ser reduzida em cerca de 18%. Desde o ano passado, a instituição realiza adequações do quantitativo de servidores terceirizados e outros. Veja abaixo outras soluções implantadas.
Leia mais:
Corte de mais de 18% no orçamento das universidades federais em 2021 poderá inviabilizar ensino, diz entidade
UFV e UFSJ esperam orçamento menor em 2021
O comunicado da UFV ocorreu após o Congresso aprovar a Lei Orçamentária Anual (LOA), que ainda não foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O prazo para isso termina nesta quinta-feira (22).
Conforme a instituição, comparada com a LOA de 2020, este ano haverá uma diminuição de 18,6% nos valores orçamentários previstos, com uma perda estimada de R$ 15,988 milhões no orçamento de custeio e de R$ 638 mil no de capital, que é destinado à aquisição de equipamentos e realização de novas obras.
“Os cortes também incidem sobre o Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES): a UFV deixará de receber algo em torno de R$ 3 milhões”, informou em nota divulgada na segunda-feira (19).
Medidas tomadas
Em pronunciamento, a UFV explicou que desde o ano passado toma medidas para minimizar os cortes previstos em 2021. Confira abaixo quais são elas:
Adequação do quantitativo de servidores terceirizados, temporariamente, à redução de atividades presenciais;
Redução do número de bolsas de monitoria e estágio;
Reavaliação nos contratos continuados;
Adoção de ações para reduzir as despesas com energia elétrica – aquisição de usinas fotovoltaicas e instalação de geradores nos horários de ultrapassagem da demanda contratada, para evitar multas com a concessionária.
A instituição também explicou que em outros anos planejou soluções que visaram uma adaptação às restrições e cortes orçamentários.
O G1 entrou em contato com a UFV para saber quantas bolsas de monitoria e estágio foram cortadas, mas não houve retorno até a última atualização desta matéria.
VÍDEOS: veja tudo sobre a Zona da Mata e o Campo das Vertentes