Turnê ‘Patroas’: Marília Mendonça, Maiara e Maraísa vão contar história de amizade e incentivar apoio entre mulheres


Trio sobe aos palcos em 2022 para apresentar repertório cantado ou escrito por elas. Marília afirma que projeto é alter ego, parar criar sem se preocupar se vai assustar fãs da sofrência. Marília Mendonça, Maiara e Maraísa vão unir vozes e fãs para uma turnê em parceria. O Festival das Patroas segue o exemplo de outros projetos do sertanejo como “Amigos” (Zezé Di Camargo e Luciano, Chitãozinho e Xororó e Leonardo) e “Amizade Sincera” (Renato Teixeira & Sérgio Reis).
DATAS E INGRESSOS: Veja informações da turnê
As “patroas” querem contar na turnê a história da amizade entre elas, que teve início quando elas ainda se dedicavam apenas às composições, há quase uma década.
“Já conquistamos bastante coisa, mas o foco agora, o principal é mostrar a amizade”, diz Marília. “E como você pode estar ao lado de uma mulher, ou abaixo, acima de uma mulher, e mesmo assim você estar junto com ela o tempo todo.”
Para cantar a história das três, as artistas vão incluir no repertório não apenas as canções dos álbuns “Patroas”, mas também as músicas de suas carreiras separadas. As apresentações também terão músicas escritas gravadas por outros aristas.
Marília Mendonça e Maiara & Maraisa anunciam turnê do projeto ‘Patroas’ para 2022
Marcelo Brandt/g1
A ideia das três é mostrar essa história por todos esses ângulos e só diversificando o repertório, é claro, para conectar as playlists da carreira de Marília, Maiara e Maraisa.
“Vamos trazer para os fãs tudo isso o deixar sempre esse recado: ‘não precisa ter medo de outra mulher’. Está tudo bem. Pega na mão dela e vai crescer junto com ela que vai ser lindo.”
Feat no palco
A turnê reflete muito dos sonhos das amigas na época em que uniram forças na composição. Nesses encontros, além de escreverem os versos de grandes hits, elas imaginavam como seria um encontro no palco.
“A gente sempre foi muito perseverante, compunha pra grandes artistas. O povo falava: ‘Mulher no meio não acontece’. Mas nós sempre pensamos no positivo. Quando nós estávamos compondo no sofazinho lá, nós já falávamos que ia acontecer, que um dia nós íamos ter o nosso show, que ia parar tudo”, recorda Maraisa. “A gente nunca tinha gravado uma música sequer na vida.”
“Uma mulher determinada ninguém para, imagina três juntas”, completa Maiara.
Maiara fala com a imprensa no lançamento da turnê ‘Patroas’
Marcelo Brandt/G1
Não fui eu, foi meu alter ego
Marília Mendonça faz uma análise sobre o projeto e diz que o “Patroas” é seu alter ego, pois nele consegue criar mais sem precisar pensar se vai assustar fãs de sua carreira solo caso tente sair de suas raízes da sofrência e do brega. “Chega aqui, eu desbloqueio tudo”, resume ela.
“Tenho me divertido de uma forma e deixado as coisas acontecerem de uma forma tão bonita, desde nosso primeiro álbum. Sou muito livre para criar aqui dentro do ‘Patroas’. A minha responsabilidade diminui aqui.”
Após ‘pé no freio’, sertanejos retomam ritmo
“E essa Marília vem aqui, aproveita de tudo isso, de toda essa criatividade, de toda essa genialidade dessas duas meninas. Essas oportunidades que eu tenho vou levar praquela Marília lá de uma forma mais sutil pra não assustar o fã de Marília Mendonça.”
“A gente começou do zero, já fizemos músicas para outros cantores, a gente canta o sertanejo, somos três mulheres que estão aí, guerreiras, escrevendo a nossa história. Para mim, a representatividade de ser indicada, de o álbum ser indicado, é uma coisa surreal. Imagina se ganhar”, dispara Maiara.
“A gente sempre fala, projeta as coisas, a gente se diverte e fala muita coisa boa. E as coisas acontecem”, completa Maraisa.
Maraisa
Marcelo Brandt/g1
VÍDEO: Semana pop tem sertanejo, fofocas, filmes, lançamentos e mais