Trump ameaça União Europeia por tarifas aplicadas à Harley-Davidson


Em 2018, o presidente americano havia criticado a montadora por decisão de produzir fora dos EUA. Em queda nas vendas, Harley apresentou resultados melhores que os previstos. Foto de 2017 mostra o presidente americano, Donald Trump, com motos da Harley-Davidson
REUTERS/Carlos Barria
O presidente americano Donald Trump ameaçou, nesta terça-feira (23), adotar medidas de represália contra as tarifas da União Europeia aplicadas às motocicletas Harley-Davidson, que anunciou melhores resultados que os previstos, apesar de uma queda nas vendas nos Estados Unidos.
“Harley-Davidson sofreu com as tarifas da UE, atualmente pagando 31%. Tiveram que transferir a sua produção para o exterior para tentar limitar algumas dessas tarifas que vão aumentar para 66% em junho de 2021”, escreveu Trump no Twitter.
“É muito injusto para os Estados Unidos, vamos contra-atacar”, acrescentou.
Trump, que em 2018 criticou a fabricante de motocicletas por sua decisão de produzir fora do território americano, não informou como pretende responder ao bloco europeu.
Bruxelas e Washington estão prestes a retomar as negociações comerciais.
Fábrica na Tailândia
No início deste ano, Harley-Davidson alertou que as tarifas anunciadas por Bruxelas em resposta à imposição pelo governo de Trump de tarifas sobre o aço e o alumínio europeus custariam entre 100 milhões e 120 milhões de dólares em 2019.
A conta foi de US$ 21 milhões no primeiro trimestre, segundo a empresa, que explicou que o fortalecimento de sua fábrica na Tailândia para atender o mercado europeu permitiu limitar os danos.
Lucro cai, mas abaixo do esperado
O lucro líquido do grupo caiu 27%, para 127,9 milhões de dólares no primeiro trimestre, mas o seu valor por ação é de 98 centavos de dólar contra 65 centavos esperados pelos mercados financeiros.
As vendas caíram 10,4%, para 1,38 bilhão de dólares, mas também foram superiores às previsões de 1,2 bilhão.