Tosse de outono pode ser causada por mudança de clima e vírus

A tosse é um mecanismo de defesa do corpo e resposta à irritações na garganta

A tosse é um mecanismo de defesa do corpo e resposta à irritações na garganta
Freepik

Com a chegada do outono é difícil não ver uma pessoa que não esteja tossindo. De acordo com o pneumologista Elie Fiss, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, a aparição do sintoma nessa época do ano é comum, visto que o ar frio pode irritar as vias aéreas e, além disso, há uma grande circulação de vírus no ar, aumentando o número de casos de problemas respiratórios.

Fiss afirma que a tosse é um mecanismo de defesa do corpo, sendo o sintoma mais frequente na procura de atendimento médico. O pneumologista explica que a tosse pode ser também um sintoma de outros tipos de problemas, como a resposta a alguma irritação, sintoma de gripes, resfriados, sinusites, rinites e bronquites ou até mesmo de problemas não relacionados ao sistema respiratório, como é o caso da tosse por refluxo gastroesofágico.

Leia também: Por que autoridades britânicas recomendam mel (e não antibióticos) contra a tosse

A queda da umidade do ar nos próximos meses também é causadora de tosse, já que a mudança climática favorece o aparecimento de infecções, como gripes e resfriados, e piora a reatividade dos brônquios. Além disso, há a possibilidade de a tosse ser uma resposta à uma irritação, no caso de aspiração de partículas.

O pneumologista afirma que, diferentemente da crença popular, a tosse não é um problema, mas o sintoma de um problema que deve ser tratado. Segundo Fiss, a tosse pode ser classificada de três maneiras: aguda, com duração de até três semanas, sendo ocasionada por infecções, de maneira geral, como gripe; sub-aguda, com duração de três a oito semanas, que pode ser pós-infecciosa, já que, após um resfriado, os brônquios podem levar até oito semanas para desinflamarem; e tosse crônica, com duração superior a oito semanas, podendo ser causada por outras doenças, como asma, bronquite ou refluxo gastroesofágico.

Saiba mais: Em filme, casal com fibrose cística não pode se tocar. Entenda a doença

Dessa forma, o pneumologista afirma que não há um tratamento específico para a tosse. “A causa da tosse deve ser investigada para que, a partir daí seja passado o tratamento correto. O pior erro que existe é quando receitam um xarope expectorante que não vai ajudar a tratar o problema e ainda pode piorá-lo”, explica.

Com a circulação de viroses nessa época do ano, a tosse em locais públicos pode causar transmissões, mas não seria tão procupante, segundo o médico. Ele afirma que o que mais chama a atenção na tosse em público é o estigma inconsciente por tuberculose, mas não necessariamenteo o sintoma significa uma doença transmissível.

Em qualquer caso, o médico recomenda que seja feita uma investigação para a causada tosse.

Veja também: ‘Staphylococcus aureus’ e outras bactérias que colocam a saúde em risco

O pneumologista afirma que, até que seja feita a investigação correta da causa da tosse, o paciente deve tomar bastante líquido, o que ajuda bastante na expectoração, e não tomar xaropes expectorantes. 

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini

Como saber se está com H1N1? Tire suas dúvidas sobre o vírus da gripe: