Toquinho e Yamandu Costa vão de Ernesto Nazareth a Paulinho Nogueira em disco ao vivo em duo


Artistas também abordam temas de Baden Powell e Canhoto da Paraíba no álbum ‘Bachianinha’. ♪ Em 25 de outubro de 2020, a edição do Rio Montreux Jazz Festival promoveu, em show, o encontro então inédito do cantor, compositor e violonista Toquinho com Yamandu Costa, ás do violão brasileiro.
Idealizado pelo produtor musical Marco Mazzola, mentor da versão carioca do festival de origem suíça, o encontro entre o artista paulistano e o músico gaúcho fica perpetuado para a posteridade no álbum Bachianinha – Toquinho & Yamandu Costa Rio Montreux Jazz Festival.
Programado para ser lançado na sexta-feira pela gravadora MZA Music, o disco alinha onze músicas nos dez números captados ao vivo durante o show de Toquinho com Yamandu.
Desses dez números, quatro – a canção Apelo (Baden Powell e Vinicius de Moraes, 1966), o choro Odeon (Ernesto Nazareth, 1909, com letra de Vinicius de Moraes, 1968), Tua imagem (Canhoto da Paraíba, 1968) e a música-título Bachianinha nº 1 (Paulinho Nogueira, 1965) – são feitos em dueto.
Yamandu Costa sola outros quatro números em set que inclui abordagem de tema inédito em disco, A Legrand, composto pelo violonista em tributo ao pianista e compositor francês Michel Legrand (1932 – 2019), falecido no ano anterior ao show do duo.
Já Toquinho celebra Dorival Caymmi (1914 – 2008) – em medley que agrega a canção praieira O bem do mar (1954) e o samba Saudade da Bahia (1957) – e revive a toada Asa branca (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, 1947).