Temos contratos há três meses sem pagamento, diz presidente do Ibama sobre falta de recursos

Eduardo Bim afirmou que não há problemas de orçamento, o que ocorre é que a verba não é liberada de fato. Ibama determinou que brigadas de combate a incêndios parem os trabalhos. Ibama tenta ‘aproximar o infrator do órgão ambiental’, diz presidente do instituto
O presidente do Ibama, Eduardo Bim, disse nesta quinta-feira (22) que o órgão enfrenta problemas financeiros que impedem o cumprimento de compromissos na pasta. “Temos contratos há três meses sem pagamento”, disse Eduardo Bim, presidente do Ibama, em entrevista para a GloboNews. Bim citou que o órgão tem pagamentos pendentes na ordem de R$ 19 milhões.
A falta de recursos disponíveis levou o Ibama a determinar, em ofício de quarta-feira (21), que as brigadas de incêndios florestais interrompam, a partir da meia meia-noite desta quinta, os trabalhos em todo o país. Em um segundo documento, desta quinta, o órgão fala em “indisponibilidade financeira” para fechar o mês de outubro.
A suspensão do trabalho dos agentes é determinada em um momento em que tanto o Pantanal quanto a Amazônia têm recordes de queimadas. O bioma pantaneiro enfrenta uma seca histórica, que contribui para a alta nos incêndios.
Recursos indisponíveis
Eduardo Bim afirmou que não há problemas de orçamento, o que ocorre é a indisponibilidade financeira dos recursos. Ou seja, o órgão tem previsão para recebimento do dinheiro já previsto, mas o recurso não foi liberado e não está disponível na conta do Ibama.
O presidente citou, por exemplo, uma dívida de R$ 5 milhões referentes à operação de helicópteros usados na Amazônia Legal.
Ibama determina que os agentes que combatem incêndios no país voltem para as bases
VÍDEOS: mais assistidos do G1