Tarcísio Meira: a homenagem dos Rodrigos que tiveram nome inspirado em ‘capitão’ vivido pelo ator


Popularização do nome Rodrigo no Brasil coincide com exibição da série inspirada na obra de Érico Veríssimo e protagonizada por Tarcísio Meira. Meira viveu o Capitão Rodrigo na série ‘O Tempo e o Vento’
TV Globo/Divulgação
Num tempo em que a televisão era a grande protagonista nos lares brasileiros, atores e personagens marcantes inspiravam a vida real bem além da telinha.
E Tarcísio Meira definitivamente foi um deles.
Um dos maiores do Brasil, o ator paulista morreu aos 85 anos nesta quinta-feira (12/08), vítima de complicações da covid-19. Sua esposa, a também atriz Glória Menezes, segue se recuperando da doença.
PERFIL: Parceria com Glória Menezes marcou carreira na TV
FOTOS: Relembre personagens inesquecíveis
REPERCUSSÃO: Claudia Raia, Marcos Caruso, Tony Ramos lamentam a morte
Na comoção que tomou conta das redes sociais, pessoas que foram batizadas em homenagem ao trabalho do ator lembraram a conexão que terão para sempre com o artista.
“Hoje uma parte da minha história se vai”, disse um dos vários Rodrigos que relataram o tributo que carregam no nome.
Initial plugin text
O Rodrigo a que todos se referem é o Capitão Rodrigo, personagem vivido por Meira na minissérie O Tempo e o Vento, de 1985, na TV Globo.
A exibição coincide com o período de maior popularização deste nome para os meninos brasileiros, segundo dados do IBGE.
Na década de 1960, apenas 5,4 mil brasileiros foram registrados como “Rodrigo”. O número pula para 78 mil na década de 1970 e explode para 250 mil Rodrigos nascidos nos anos 1980. Nos anos 1990 e 2000, o número começa a cair, mostra o IBGE.
Segundo o censo de 2010, o Brasil tinha 601.650 Rodrigos. Ou seja, cerca de 41% dos homens com esse nome nasceram na década de 1980.
Um desses Rodrigos nascidos nos anos 1980 é o advogado catarinense Rodrigo Sartoti, de 32 anos. O nome foi escolhido pelo avô, inspirado na minissérie global.
“Assim que soube da morte, lembrei na hora da história que minha família sempre contou sobre a origem do meu nome. Fiquei emocionado e fico muito feliz em saber que meu nome é uma referência a um personagem tão importante, que o Brasil inteiro conheceu mais a partir do Tarcísio Meira”, contou Sartoti à BBC News Brasil.
Initial plugin text
‘Um Certo Capitão Rodrigo’
Tarcísio Meira e Glória Menezes: história de amor na vida real e nas telas
A minissérie da Globo foi baseada em O Continente, primeira parte da trilogia O Tempo e o Vento, publicada em 1949 pelo escritor gaúcho Érico Veríssimo.
Um dos capítulos da obra se chama “Um Certo Capitão Rodrigo” e conta a história da formação do gaúcho no século XIX. O personagem vive um amor proibido com Bibiana (Louise Cardoso), da família Cambará, e se engaja na Guerra dos Farrapos (1835 – 45), a revolução republicana contra o governo imperial do Brasil na então província do Rio Grande do Sul.
Initial plugin text
O personagem de Meira fez tanto sucesso que a própria Editora Globo publicou separado um livro com a parte de “Um Certo Capitão Rodrigo”.
Hoje fã da obra de Veríssimo, Rodrigo Sartoti conta que foi justamente a homenagem ao personagem vivido por Tarcísio Meira que o fez se aproximar da literatura.
“Quando conheci a história da origem do meu nome, fui ler ‘O Tempo e o Vento’ para tentar compreender quem era o Capitão Rodrigo e me encantei com a obra”, diz.
Outro Rodrigo, com sobrenome Nascentes, usou as redes sociais para dizer que o ator influenciou uma geração inteira: “No colégio, nunca foi (sic) o único Rodrigo da turma. Na firma, só no meu atual time tem três. Descanse em paz, Tarcísio Meira, o eterno Capitão Rodrigo”, homenageou.
A minissérie da Globo também contava com a presença de Paulo José, ator que morreu na quarta-feira, vítima de uma pneumonia.
Outras homenagens
Além do popular Rodrigo, nomes como o próprio Tarcísio e Renato também aparecem como homenagem ao ator.
Initial plugin text
O Renato marcante da teledramaturgia foi o Villar, da novela Roda de Fogo (1986), também da TV Globo.
A gerente de marketing Cristina Holanda, de São Paulo, contou que o nome de seu irmão, já falecido, foi uma escolha do pai, inspirado no personagem.
“Meu pai pegou toda a fase das novelas do Tarcísio, dava uma imitada no visual. Lembro do personagem forte que era, passava poder”, relata. A preferência da mãe era pelo nome Josemar, mas o nome do personagem de Meira falou mais alto. Renato Holanda, nascido em 1986, faleceu em 2019.
A exibição da novela coincide também com o período de maior popularização do nome Renato no Brasil. Foram cerca de 104 mil registros na década de 1980, contra 66 mil dos anos 1970 e 61 mil dos anos 1990.
O mesmo acontece com “Tarcísio”. O nome foi mais popular nos anos 1980 (com 6,6 mil registros) e anos 1990 (com 6,5 mil).
VÍDEOS: Carreira e o legado de Tarcísio Meira