Takao Saito, artista japonês de mangá e criador de ‘Golgo 13’, morre aos 84 anos


Publicada pela primeira vez em 1968, série de quadrinhos foi adaptada para séries de animação, videogames e dois filmes. Takao Saito foi um renomado artista japonês de mangá e criador do quadrinho ‘Golgo 13’
STR/Jiji Press/AFP
O artista de mangá Takao Saito morreu aos 84 anos, informaram seus editores nesta quarta-feira (29). Ele criou a série de quadrinhos “Golgo 13”, uma das mais famosas do Japão.
História de um lendário assassino profissional, “Golgo 13” foi publicada pela primeira vez em 1968 e adaptada para séries de animação, videogames e dois filmes.
O assassino Golgo, também conhecido como Duque Togo, é de nacionalidade desconhecida e executa seus assassinatos no mundo todo. Muitas vezes, os enredos são inspirados em eventos da atualidade.
Sua 201ª edição foi lançada em julho deste ano, atingindo o recorde do Guinness para a série de mangás com maior número de volumes publicados. Saito escreveu e ilustrou a série.
Ele morreu na última sexta-feira (24), de câncer no pâncreas, de acordo com Shogakukan, editor da antológica revista “Big Comic”, que publica a Golgo 13.
“Oferecemos nosso sincero respeito pelas conquistas do sr. Saito e oferecemos nossas mais sinceras condolências”, declarou Shogakukan.
“Esperamos continuar Golgo 13 em cooperação com sua equipe, de acordo com seus desejos”, acrescentou.
Saito nasceu em 1936, na cidade de Wakayama, no oeste do Japão. Seu primeiro mangá, “Baron Air”, é de 1955.
O sucesso de outra de suas obras, intitulada “Tufão Goro”, de 1960, levou-o a se mudar de Osaka para Tóquio, para criar sua própria produtora.
Ele também é um dos fundadores da “gekiga”, um gênero realista de mangá voltado para adultos, iniciado na década de 1950.