Suspeito de matar a terapeuta Amie Harwick é acusado do assassinato e preso sem fiança


Gareth Pursehouse tinha sido libertado após pagar fiança de US$ 2 milhões, mas foi detido novamente. Pelas acusações, ele pode pegar a pena de morte. Amie Harwick, ex-mulher do ator Drew Carey e terapeuta em Hollywood, é morta em Los Angeles
Reprodução/Instagram
Gareth Pursehouse, suspeito de matar Amie Harwick, foi acusado pela promotoria de Los Angeles, nos Estados Unidos, de assassinato em primeiro grau nesta quarta-feira (19). Ele foi preso novamente sem fiança e, pelas acusações, pode ser condenado à pena de morte.
O fotógrafo tinha sido detido depois do ataque sofrido pela terapeuta, da qual era ex-namorado, neste sábado (16), mas foi liberado após pagar uma fiança de US$ 2 milhões.
Ela havia relatado medo do ex e entrado com um pedido de medida protetiva, mas a ordem havia expirado.
Harwick era terapeuta sexual e de família em Hollywood e ex-mulher do ator e comediante Drew Carey. Ela morreu após ser encontrada inconsciente e gravemente ferida.
Segundo a CNN, Harwick, de 38 anos, foi encontrada caída em sua casa, no sábado. A polícia foi chamada após relatos de “gritos de um mulher”. Ao chegarem no local, encontraram uma amiga que mora com Amie na rua afirmando que ela estava sendo agredida dentro de casa.
Os policiais entraram no local e encontraram Harnick caída no chão, embaixo de uma varanda localizada no terceiro andar. Ela foi levada para o hospital pelos policiais, mas não resistiu aos ferimentos. Foram encontradas evidências de luta corporal ainda no andar superior da casa.
Amie Harwick era uma terapeuta bastante conhecida em Hollywood por seu trabalho de terapia sexual e familiar. Ela participava frequentemente de programas de TV e podcasts, além de contar com um canal no YouTube, onde discutia temas relacionados ao seu trabalho.
A terapeuta se casou com o ator Drew Carey em 2018 e se separou menos de um ano depois.