Surto de encefalite mata mais de 130 crianças na Índia em 2019

131 crianças já morreram no norte do país

131 crianças já morreram no norte do país
Pixabay

Um surto de encefalite no norte da Índia já causou a morte de pelo menos 131 crianças, informaram nesta quinta-feira (27) fontes oficiais, o que provocou protestos devido à suposta má gestão das autoridades e um apelo pela atenção do governo por parte do Supremo Tribunal do país.

Segundo o relatório mais recente, no distrito de Muzaffarpur do estado de Bihar (norte) onde está concentrado o surto endêmico, foram registradas até agora 131 mortes em dois hospitais dessa cidade, disse à Agência Efe Kamal Singh, porta-voz da administração local.

Leia também: Surto de encefalite mata 43 crianças em 12 dias no norte da Índia

O surto da doença identificada como Síndrome da Encefalite Aguda (AES, na sigla em inglês) se agravou no último mês quando, segundo Singh, ocorreu a maioria das mortes. “Agora está sob controle”, afirmou o porta-voz.

O aumento das mortes nas últimas semanas despertou a crítica dos opositores ao Governo e hoje, membros da ala juvenil do opositor Partido do Congresso da dinastia Nehru-Gandhi, fizeram um protesto na sede do Governo de Bihar, em Nova Délhi, para reivindicar ações que detenham as mortes de crianças.

Saiba mais: ‘Eu tenho só metade do cérebro, mas ninguém percebe’

Na segunda-feira (24), o Supremo Tribunal do país já tinha expressado sua “grave preocupação com” o surto da doença e pediu às autoridades informações detalhadas sobre como foi abordado seu tratamento.

As autoridades não deram até agora uma explicação concreta sobre as causas do surto de AES, que costuma atingir seu nível mais alto de mortalidade na metade do ano, quando começa a temporada de calor e pouco antes do período de chuvas.

Bihar, um dos estados mais pobres da Índia, é habitualmente uma das regiões mais atingidas pelas epidemias e só em junho de 2014, quase cem crianças morreram em um surto desta doença na região.

Em 2011, a encefalite causou a morte de 320 crianças em diferentes estados do norte do país.