Sony vai deixar de vender TVs, câmeras e fones no Brasil neste mês; Playstation não será afetado


Decisão acontece após fechamento de fábrica anunciado em setembro de 2020. Distribuição do videogame, garantia e assistência técnica de eletrônicos serão mantidos no país. Sony deixará de vender produtos no Brasil.
Simon Dawson/Reuters
A Sony anunciou nesta segunda-feira (1º) que encerrará suas atividades comerciais no Brasil até o final de março, interrompendo a venda de produtos como TVs, câmeras e equipamentos de áudio.
A venda dos videogames Playstation 4 e Playstation 5, que são importados, continua. A atuação em outras áreas, incluindo a Sony Pictures e a Sony Music, também permanece.
A assistência técnica e garantia de todos os produtos da marca será mantida “pelo tempo necessário, estando em conformidade com os regulamentos e requisitos locais de proteção aos consumidores”, segundo um comunicado da empresa.
Em 2019, a Sony também deixou de vender celulares no Brasil, em uma decisão que incluía toda a América do Sul, América Central e Oriente Médio. A medida foi tomada levando em consideração a queda nas vendas de seus smartphones ao redor do mundo.
O encerramento do comércio no Brasil tinha sido divulgado em setembro passado, quando a Sony fechou sua fábrica após quase cinco décadas no país.
Ao G1, na época, a assessoria de imprensa da Sony informou que a fábrica em Manaus mantinha 220 funcionários.
Em dezembro, a Mondial comprou o terreno, a fábrica e os equipamentos da Sony para produzir TVs, micro-ondas e aparelhos de ar condicionado.