Sete pessoas morreram nos últimos três meses na BR-354 entre Arcos e Formiga, mostra levantamento

De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMR), 90% das causas dos acidentes estão relacionadas à imprudência dos motoristas.  Sete mortes são registradas em três meses na BR-354 entre Arcos e Formiga
De janeiro até a terceira semana de março, pelo menos sete mortes foram registradas em acidentes na BR-354, entre Arcos e Formiga. O caso mais recente aconteceu na quarta-feira (21), quando um homem de 47 anos morreu ao perder o controle da direção e ser arremessado do veículo no km 356 da rodovia.
Conforme a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), no mesmo trecho, foram registrados de outubro de 2017 a fevereiro de 2018, 68 acidentes com 40 vítimas fatais.
Curva da morte
A quantidade de acidentes na rodovia, principalmente no km 492, conhecido por curva da morte, tem sido preocupante. O produtor rural Paulo Henrique Brito trafega diariamente pela rodovia e conta que já presenciou várias cenas de acidente.
“É um local muito escorregadio. Esse asfalto parece ser até mais liso que os outros. Só chover e tem acidente. Eu evito sair quando está chovendo. Muita gente morre aqui”, diz Brito.
Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMR), 90% das causas dos acidentes estão relacionadas à imprudência dos motoristas.
“Os condutores estão trafegando numa velocidade um pouco maior. Vemos nas ocorrências que analisamos que a maior parte das causas presumíveis de acidente se deve à falha humana e não a uma falha mecânica ou defeitos da pista”, avalia o comandante da 7ª Companhia de Trânsito, major Paulo Antônio de Moraes.
Ainda segundo o major Moraes, o trecho entre Arcos e Formiga concentra um fluxo pesado de veículos de grande porte, como caminhões de carga. Boa parte dos acidentes no local envolve carros de passeio e caminhões.
“Pedimos tanto às pessoas que moram próximas a esse trecho, ou que tenham que passar por ali, que tenham uma direção defensiva. Havendo veículos maiores, o impacto contra os carros menores é maior”, alerta Moraes.
Vítimas graves
Segundo o coordenador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Márcio Zanardi, na hora do atendimento às vítimas de acidentes na BR-354, a equipe se depara com cenas preocupantes.
“São vítimas em estado bastante grave, vítimas de trauma, pessoas encarceradas dentro de veículos, situações que levam a óbito até na própria cena. Para se ter ideia, do trecho de Arcos atendemos 33 acidentes nesse período de funcionamento do Samu”, relata Zanardi.

Powered by WPeMatico