Série ‘Mestre Navegantes’ faz dez anos com disco de remixes e relançamento digital do catálogo


Coletânea ‘Mescla BR’ promove a interação de gerações distintas de artistas de Bahia, Ceará, Pará e São Paulo. ♪ Série fonográfica de caráter documental e antropológica, criada por Betão Aguiar para registrar músicas de manifestações culturais e populares de vários estilos e regiões do Brasil, Mestre Navegantes completa 10 anos em 2020.
Para celebrar a efeméride, um disco com remixes de fonogramas do projeto, Mescla BR, será apresentado em 15 de setembro simultaneamente com o relançamento, em edições digitais, de todos os discos da série.
Na coletânea Mescla BR, cantigas de mestres da cultura popular são retrabalhadas por produtores das cenas contemporâneas do Brasil, unindo gerações distintas de artistas paulistas, cearenses, paraenses e baianos.
Se o produtor Mahal Pita reciclou Seu Pastinha, tema da lavra do baiano Mestre Curió, Felipe Cordeiro e Klaus Sena ergueram a ponte Pará-Ceará ao escolherem remixar Forró do remoído, música mais conhecida do repertório da Banda de Pife do Carcará.
Na mesma ponte, o duo Strobo revisitou Bendito de entrada, tema dos Penitentes do Sítio Cabeceiras, de Barbalha (CE), município do interior do Ceará. Em sintonia com o título Mescla BR, essa faixa promove a fusão dos cantos religiosos dos mestres cearenses com os beats eletrônicos – evocativos das guitarradas – produzidos pela dupla de Belém (PA).