Senadora norte-americana pede que Mark Zuckerberg retenha documentos relacionados a depoimento de ex-gerente


Maria Cantwel disse que relato da Frances Haugen “levanta preocupações significativas” sobre se o Facebook enganou o público, reguladores federais e o comitê. Senadora norte-americana pede que CEO do Facebook retenha documentos relacionados a depoimento
REUTERS/Erin Scott
A presidente do Comitê de Comércio do Senado dos Estados Unidos, Maria Cantwell, pediu nesta terça-feira que o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, preserve todos os documentos relacionados ao depoimento feito na semana passada pela informante Frances Haugen. 
“O depoimento … levanta preocupações significativas sobre se o Facebook enganou o público, reguladores federais e este comitê”, disse Cantwell, que é do partido democrata.
“Este comitê continuará a supervisionar e trabalhar para buscar projetos de lei que protejam a privacidade dos consumidores, melhorem a segurança de dados e fortaleçam a fiscalização federal para abordar os prejuízos digitais, que são o assunto dessas audiências.” 
Cantwell pediu que o Facebook preserve e retenha as pesquisas internas da empresa citadas por Haugen e a avaliação do Facebook sobre a pesquisa; sistemas de ranqueamento ou composição; experimentos ou recomendações para alterar esses sistemas de ranqueamento e o impacto das plataformas do Facebook em crianças e adolescentes com menos de 18 anos de idade. 
O Facebook não respondeu imediatamente a um pedido por comentários. 
Saiba mais:
Produtos do Facebook prejudicam crianças e enfraquecem democracia, diz delatora
Facebook coloca ‘lucros acima da segurança’, diz Frances Haugen
Vazamento no Facebook: o que novo escândalo revela sobre práticas da empresa
Na semana passada, o Comitê de Comércio criticou duramente o Facebook, acusando Zuckerberg de buscar sempre lucros maiores enquanto era arrogante sobre a segurança dos usuários.
O comitê exigiu que agências de regulação investiguem as acusações feitas pela informante de que a empresa de redes sociais prejudica a saúde mental de crianças e alimenta divisões.
Zuckerberg defendeu a empresa, dizendo que as acusações estão em discordância com os objetivos do Facebook. 
Pane global: entenda 4 pontos sobre a queda do WhatsApp, Facebook e Instagram