Sêmen congelado consegue sobreviver ao espaço, diz pesquisa

Pesquisa testou amostras de esperma congelado em microgravidade

Pesquisa testou amostras de esperma congelado em microgravidade
Pixabay

Pesquisadores da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia, em Viena, divulgaram uma pesquisa na última segunda-feira (24) que revela que esperma congelado consegue sobreviver após uma viagem espacial.

Os testes ainda preliminares analisaram a concentração, motilidade, vitalidade, morfologia e fragmentação do DNA nas amostras expostas à microgravidade, conhecida popularmente como “gravidade zero”.

Segundo o estudo, o teste provou ser possível transportar os gametas masculinas em missões além da atmosfera sem prejudicar a qualidade do material. Essa seria uma condição para, a criação de um banco genético até em outro planeta.

O esperma congelado foi usado no estudo porque o efeito radiação no esperma fresco foi estudado anteriormente e os resultados constataram que ocorre prejuízo na qualidade.

“Nosso primeiro passo foi investigar as condições de gravidade em amostras de esperma congelado. A melhor opção será realizar o experimento usando voos espaciais reais, mas o acesso é muito limitado”, explica o Dr. Montserrat Boada, um dos responsáveis pelo projeto.

Os cientistas não foram até a Estação Espacial Internacional fazer os testes e nem os astronautas precisaram contribuir para que a pesquisa avançasse. Uma parceria com um aeroclube em Barcelona permitiu a realização de voos parabólicos, que simulam a condição de microgravidade.

A próxima fase do projeto será validar os resultados em amostras maiores de espermatozoides e também por períodos mais longos em microgravidade.