Secretário-executivo do Conselho Nacional de Educação é exonerado


Paulo Roberto Costa e Silva, coronel reformado do Exército, ocupava a função desde o início de 2019. Exoneração não foi justificada pelo MEC. Reunião do Conselho Nacional de Educação (CNE) para a aprovação da Base Comum Curricular (BNCC)
Divulgação/MEC/Mariana Leal
O militar Paulo Roberto Costa e Silva, coronel reformado do Exército, foi exonerado do cargo de secretário-executivo do Conselho Nacional de Educação (CNE). A decisão foi publicada na edição desta segunda-feira (9) do Diário Oficial da União.
Costa e Silva ocupava o posto desde fevereiro de 2019, ainda na gestão do então ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez.
O G1 entrou em contato com o MEC para saber o motivo da saída do coronel, mas não recebeu resposta até a última atualização desta reportagem. Também não há informações, por enquanto, de quem o substituirá. A pasta apenas informou que o cargo é “de livre nomeação e exoneração”.
O CNE é um órgão do MEC cuja função é formular e avaliar as políticas nacionais de educação. Cabe a ele também zelar pela qualidade de ensino e assegurar o cumprimento da legislação.
Militar como assessor especial
Também nesta segunda, o MEC nomeou o militar Carlos Minelli de Sá como assessor especial do ministro da Educação, Milton Ribeiro.
Ele é major-brigadeiro do ar e ocupava a função de comandante do Primeiro Comando Aéreo Regional (I COMAR).
O G1 questionou o MEC sobre qual seria a relação de Sá com assuntos de educação. Em resposta, a pasta afirmou apenas que o cargo é “de livre nomeação e exoneração”.