Saiba o que fazer ao ter o celular roubado durante a folia de Carnaval

Os foliões que se aglomeram pelas ruas de todo o país durante o Carnaval são alvos de criminosos que aproveitam a festa para furtar e roubar celulares. A perda do aparelho pode trazer muitos transtornos, mas alguns cuidados podem ser tomados para tentar minimizar os problemas

O professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas) Artur Igreja orienta o uso dos recursos
do próprio celular para tentar dificultar o uso por quem roubou o aparelho.
“O bloqueio de tela é
a primeira barreira de segurança que deve estar ativa. Isso evita o fácil
acesso ao aplicativo do banco, mensagens e perfis nas redes sociais”

Leia também: Crie seus próprios stickers para compartilhar pelo WhatsApp

Se o celular tiver o recurso de desbloquear a tela por reconhecimento facial, o professor aconselha o uso da função por ser a opção mais segura em comparação com a digital, os pontos interligados e a sequência numérica

Leia também: Como bloquear o WhatsApp por reconhecimento facial ou digital

Tanto celulares com sistema operacional Android, do Google,
quanto iPhones possuem recursos nativos para localizar o celular. O GPS
do aparelho consegue apontar o local com basta precisão, mas deve ser utilizado
com cautela.   
“Quem perseguir o aparelho pode no fim da busca se
deparar com o próprio criminoso. O ideal é tentar entrar em contato com pelo próprio número e,
ao não obter o retorno, procurar ajuda de um policial”, orienta Igreja

Em celulares Android, o usuário deve acessar configurações>segurança>encontre meu dispositivo. Por último faça o login na conta Google e habilite o recurso.
Caso o celular seja roubado, acesse a conta Google no computador e localize o aparelho

Em iPhone, o usuário deve acessar ajustes>privacidade>serviços de localização e habilite a função. Depois, ainda em configurações, entre em iCloud>buscar iPhone e habilite os itens “buscar iPhone” e “enviar última localização”.
Para localizar o smartphone, acesse a conta do iClound pelo computador

Um dos maiores medos de quem perde ou tem o celular furtado é que
algum desconhecido tenha livre acesso aos perfis nas redes socais. Igreja aconselha fazer ajuste nas configurações a agir o mais rápido 
“A verificação em duas etapas oferece uma barreira extra contra
o acesso de pessoas não autorizadas aos aplicativos das redes sociais”, diz Igreja

Se celular foi realmente perdido, é aconselhável trocar as senhas de acesso das redes sociais para dificultar ainda mais a ação de criminosos

Leia também: WhatsApp: aprenda como ativar a verificação em duas etapas

Outra alternativa para manter os dados intactos e ainda
proteger todas as contas é reativar o número do celular em outro chip da mesma operadora.   
“Ir rapidamente até a operadora
fazer a transferência do número para um novo chip é uma maneira eficiente de recuperar
alguns dados e ainda impedir o acesso às redes sociais”

Se nada for possível recuperar o aparelho, entre em contato com a operadora para bloquear o celular pelo
número de IMEI. Essa sequência numérica é exclusiva de cada aparelho e pode ser
obtida na caixa do aparelho

Leia também: Não deixe rastros! Exclua o histórico de pesquisa nas redes sociais

Para garantir que o celular poderá ser bloqueado em caso de perda ou roubo, anote o número do IMEI antes de sair de casa. Basta digitar *#06# que será exibido automaticamente a sequência número que identifica o aparelho

“Após esgotar todas as possibilidades, a única solução é bloquear
o aparelho e apagar tudo o que estava salvo no aparelho. Isso é possível fazer
pelo acesso ao perfil do usuário em uma conta Google ou Apple”, diz o especialista

Igreja ressalta a importância de fazer um boletim de ocorrência da perda ou do furto do celular. Não é necessário ir até uma delegacia no meio do Carnaval. Pelo próprio site da Polícia Civil, a vítima consegue fazer o registro e obter o documento