Safra de laranja tem queda de 28,2% em SP e MG, diz Fundecitrus


Foram colhidas 285,9 milhões de caixas entre maio de 2018 e janeiro de 2019, 112,6 milhões a menos em relação à safra anterior, segundo balanço. Um dos motivos foi a estiagem. Safra da laranja tem queda de quase 30% em relação a anterior, segundo balanço
A safra de laranja 2018/2019 do cinturão agrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste mineiro teve uma queda de 28,2% com a colheita de 285,9 milhões de caixas, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira (10) pelo Fundo de Defesa da Citricultura.
Um dos motivos é a estiagem e, apesar da queda, os produtores estão otimistas e esperam crescimento de produção neste ano.
O número representa o período entre maio de 2018 e janeiro deste ano e é 11,6% menor em relação à média das safras dos últimos 10 anos. Na safra de 2017/2018 produção foi de 398,5 milhões.
Colheita de laranja foi afetada pela estiagem, segundo o Fundecitrus
Reprodução/EPTV
Estiagem afetou produção
Em uma fazenda de 2.450 hectares em Boa Esperança do Sul (SP) a situação não foi diferente e um dos fatores foi a estiagem em um período importante para a reprodução da fruta.
“Nós tivemos um ano com temperaturas muito elevadas após o florescimento e isso diminui o vingamento das frutas, o que possibilitou a redução da safra”, afirmou o gerente geral do Fundecitrus, Juliano Ayres.
Ayres explicou também que a falta de chuva também derrubou a produção de variedades mais precoces.
O gerente geral do Fundecitrus, Juliano Ayres.
Reprodução/EPTV
“Além de diminuir o número de frutas por causa das altas temperaturas nós tivemos no período de abril, maio, junho e julho muito seco, que era o momento do enchimento da fruta, ela precisava de água, então o tamanho das frutas precoces foi menor”, explicou.
Sem greening
Apesar da queda na produção, alguns produtores têm motivos para comemorar. Os pomares administrados pelo gerente José Maria Gasolla ficam em uma região com alta incidência de greening, uma doença que já causou muito prejuízo na região. Mas a doença está controlada no pomar graças às ações contínuas de controle da doença.
Suco de laranja
Divulgação
“A gente iniciou uma renovação há 5 anos e a gente tem feito os 10 mandamentos, controle do vetor, inspeções da doença e intensificando os tratamentos. Essa nova safra que vamos iniciar a perspectiva é bem melhor porque o clima ajudou bastante no desenvolvimento do fruto e a produção deve crescer”, afirmou Gasolla.
“Nós estamos num ano que a cadeia está feliz, está remunerando tanto para o citricultor como para a indústria. O estoque de suco no mundo é baixo, a Flórida vive um problema muito sério com o greening e isso tudo tem trazido bons ares para o setor”, ressaltou o gerente do Fundecitrus.
Exportação também teve queda
A última safra também registrou queda de 13% na exportação de suco de laranja, segundo a Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (Citrus Br).
O motivo da queda é a redução na venda de sucos para os Estados Unidos, que passaram a produzir mais. O Brasil é o maior exportador global de suco de laranja.
Veja mais notícias da região no G1 São Carlos e Araraquara.