‘Round 6’: Brincadeiras mortais fazem série sul-coreana viralizar


Serie mistura jogos infantis populares na Coreia do Sul antes da era digital com desafios de sobrevivência mortal. Com sucesso estrondoso, Netflix quer investir mais em programas coreanos. ‘Round 6’
Divulgação
Sucesso da Netflix, a série sul-coreana “Round 6” viraliza ao fundir jogos infantis populares antes da era digital com desafios de sobrevivência mortais.
Uma brincadeira de rua na qual os jogadores param e avançam ao comando de um marcador é um de seis jogos infantis com consequências fatais retratados no suspense sangrento, batizado em referência a uma variação sul-coreana do “pega-pega” usando um tabuleiro desenhado na terra.
K-pop é poder: Como Coreia do Sul investiu em cultura e colhe lucro e prestígio de ídolos como BTS
No episódio “Red Light, Green Light”, o primeiro da série, os jogadores são baleados por não ficarem parados diante da luz vermelha.
O “Squid Game” (nome original da série) é o último que os 456 concorrentes necessitados de dinheiro, que vão de um desertor norte-coreano a um administrador de fundos acusado de desfalque, precisam disputar por um prêmio equivalante a quase 40 milhões de dólares.
A série de terror disparou em audiência desde que estreou em 17 de setembro, tornando-se o primeiro drama coreano a ficar em primeiro lugar na Netflix nos Estados Unidos — e ainda pode se tornar sua atração mais popular globalmente, disse o coexecutivo-chefe da empresa, Ted Sarandos, na segunda-feira.
“Não previmos isso, em termos de sua popularidade global”, afirmou.
Na esteira do sucesso do seriado, a segunda temporada de “Round 6” já está em produção, e a Netflix diz que planeja investir 500 milhões de dólares em filmes e programas de televisão originais na Coreia do Sul neste ano.
Semana Pop: Fãs de k-pop contribuem com movimento antirracista com doações e vídeos