Rodrigo Santos agrupa hits de Chico Buarque, Legião Urbana, Rita Lee e Titãs ao ampliar ‘Festa rock’


Artista carioca lança o segundo dos quatro volumes de projeto fonográfico calcado em regravações de sucessos do pop brasileiro. ♪ Em 2015, quando vivia fase ascendente na carreira solo, Rodrigo Santos lançou o CD e DVD A festa rock vol. 01 com registros – feitos em estúdio, mas com clima de disco ao vivo – de medleys com sucessos do pop brasileiro.
Seguiram-se três álbuns com repertórios autorais – Efeito borboleta (2017), Desacelerando (2019) e Livre (2020) – e, seis anos depois do primeiro volume, o cantor, compositor e baixista carioca apresenta na sexta-feira, 19 de março, o segundo dos quatro volumes da série A festa rock.
Já prontos, o terceiro e o quarto volumes serão lançados ao longo deste ano de 2021 pelo mesmo selo Mins Música que edita o álbum A festa rock volume 2. Baixista do Barão Vermelho de 1992 a 2017, Santos pôs voz em 70 músicas que totalizam os 37 medleys dos volumes 2, 3 e 4.
No segundo volume, o artista canta sucessos de Alceu Valença, Beto Guedes, Cazuza (1958 – 1990), Chico Buarque, Legião Urbana, Nando Reis, Paralamas do Sucesso, Plebe Rude, Raul Seixas (1945 – 1989), Rita Lee, Titãs e Zeca Baleiro, entre outros nomes.
Capa do álbum ‘A festa rock volume 2’, de Rodrigo Santos
Divulgação
As músicas foram agrupadas em medleys por afinidades temáticas ou estilísticas que às vezes resultam forçadas e justificadas apenas pelo espírito festivo do disco. Eclipse oculto (Caetano Veloso, 1983) e Punk da periferia (Gilberto Gil, 1983), por exemplo, somente têm em comum o ano em que foram lançadas nas vozes dos respectivos autores.
Já Até quanto esperar? (Philippe Seabra, André X e Gutje, 1985) – pedra fundamental do repertório da Plebe Rude – reaparece ao lado de Aluga-se (Raul Seixas e Cláudio Roberto, 1980) pela tom político das letras.
As baladas Lanterna dos afogados (Herbert Vianna, 1989) e Epitáfio (Sergio Britto, 2001) formam outro medley, assim como os rocks Televisão (Arnaldo Antunes, Marcelo Fromer e Tony Bellotto, 1985) e Papai me empresta o carro (Rita Lee e Roberto de Carvalho, 1979).
De Chico Buarque, Rodrigo Santos agrupa duas músicas de 1976, Mulheres de Atenas (parceria do compositor com Augusto Boal) e O que será? (À flor da terra).
Dois sucessos apresentados pela banda Legião Urbana no álbum Dois (1986) – Tempo perdido (Renato Russo, 1986) e Quase sem querer (Renato Russo, Dado Villa-Lobos e Renato Rocha, 1986) – foram reunidos no medley que abre o álbum A festa rock volume 2.
Mixado e masterizado pelo baterista Felipe Nascimento, o disco foi gravado de forma remota com as presenças de nada menos do que sete guitarristas que já tocaram com Rodrigo Santos em shows pelo Brasil. Guilherme Pereira, Guilherme Schwab, Guilherme X, Gustavo Camardella, Leo Lachini, Luiz Sérgio Carlini e Oscar Von Pfuhl se revezaram no toque do instrumento nos 11 medleys que formam o repertório do segundo disco da série A festa rock.