Risco de morte é 63 vezes maior em idosos com pouca massa muscular

Idosas com baixa quantidade de massa muscular têm até 63 vezes mais chances de morte do que aqueles sem essa condição. Entre os homens, a mortalidade é 11,4 vezes maior. Os dados são do estudo realizado pela Universidade de São Paulo (USP), publicados no Journal of Bone and Mineral Research.

Como foi feito o estudo

As análises começaram em 2005, com a seleção de 1.025 pessoas. Foram feitos exames de sangue e de composição corporal por densitometria, além de responderem a questionários.

De 2010 a 2012, elas foram convocadas para uma nova amostragem. Porém, somente 839 retornaram – pois 15,7% do total já havia falecido. Assim, os pesquisadores começaram a comparar os dados entre os participantes vivos e aqueles que já haviam morrido para entender quais motivos os levaram a óbito ou a sobreviver.

Resultados

As conclusões mostram que a pouca massa muscular é um forte indicativo de maior risco de morte entre os idosos. Dos 132 participantes falecidos, mais de 43% morreram devido a problemas cardiovasculares. Eram mais velhos, sedentários ou praticavam pouca atividade física e tinham menor massa muscular.

O envelhecimento ocasiona naturalmente a perda de massa muscular, além de possíveis doenças crônicas que aceleram essa redução – como Parkinson Alzheimer. A ausência de músculos deixa o indivíduo mais frágil e, assim, mais suscetível a quedas fatais e demais doenças que podem resultar em morte.

Homens têm o risco de morte dobrado a cada aumento de 6 cm da gordura abdominal. Já em mulheres as chances de morte aumentam na menopausa, pois nesta fase a mulher tende a perder mais músculos que pessoas do sexo masculino.

Como prevenir a perda de massa muscular

A perda progressiva de massa muscular relacionada ao envelhecimento é chamada de sarcopenia. Essa condição atinge mais de 46% dos idosos acima dos 80 anos, segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

A massa muscular é essencial para manter:

Equilíbrio
Postura
Movimentos do corpo
Níveis de glicose no sangue regulados
Temperatura corporal adequada
Produção de hormônios que ajudam a comunicação entre órgãos sobre possíveis inflamações

Para prevenir a sarcopenia, é preciso praticar exercícios físicos – com foco especial em exercícios para fortalecimento muscular, como a musculação. Ainda, é preciso consultar um nutricionista para manter uma dieta personalizada e focada na ingestão de proteínas.