Revalida 2020: lista de aprovados na 2ª etapa é divulgada


1.085 médicos que têm diploma expedido por universidades estrangeiras foram aprovados no exame que concede a revalidação do documento e permite que o profissional atue no Brasil. Resultado do Revalida 2020 foi divulgado com 1.085 aprovados
Reprodução/Bom Dia Amazônia – AC
A lista de aprovados na segunda etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2020 foi divulgada nesta terça-feira (5). A avaliação é exigida para revalidar diplomas de medicina expedidos por universidades estrangeiras e permitir que os profissionais possam atuar no Brasil.
O resultado foi publicado no Diário Oficial da União e conta com 1.085 médicos aprovados. Os nomes também podem ser consultados pelo Sistema Revalida.
Os participantes aprovados devem entrar em contato com o setor de diplomas da universidade brasileira selecionada por ele para agendar a entrega dos documentos para revalidação.
Cabe à universidade definir o prazo de validade da aprovação no Revalida 2020, respeitando o tempo mínimo de um ano após a publicação do resultado final. Uma vez que o diploma for revalidado, o candidato passa a poder exercer a profissão no Brasil.
LEIA TAMBÉM
Revalida 2021: veja o cronograma e os horários das provas
Gabarito do Revalida 2021 é divulgado; confira
Aqueles que foram reprovados na segunda fase do Revalida 2020 podem se inscrever diretamente para esta etapa nas próximas duas edições do exame, dispensando a realização do processo de revalidação desde a primeira etapa.
Em setembro, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pelo exame, aplicou a primeira etapa de 2021. O resultado deve ser divulgado em 26 de outubro, e a segunda etapa ainda não tem data para acontecer.
O que é o Revalida
Segundo o site do Inep, “o Revalida subsidia o processo de revalidação dos diplomas de médicos que se formaram no exterior e querem atuar no Brasil. O exame é direcionado tanto aos estrangeiros formados em medicina fora do Brasil quanto aos brasileiros que se graduaram em outro país e querem exercer a profissão em sua terra natal”.
O que é necessário para participar?
ser brasileiro(a) ou estrangeiro em situação legal de residência no Brasil;
enviar imagens do diploma (frente e verso), como solicitado pelo sistema de inscrição;
ter registro no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) emitido pela Receita Federal do Brasil;
ser portador de diploma médico expedido por instituição de ensino superior estrangeira, reconhecida no país de origem pelo seu ministério da educação ou órgão equivalente, autenticado pela autoridade consular brasileira ou pelo processo de Apostilamento da Haia, regulamentado pela Convenção de Apostila da Haia, tratado internacional promulgado pelo Brasil por intermédio do Decreto nº 8.660, de 29 de janeiro de 2016.
Como funcionam as provas?
O exame é dividido em duas fases, ambas eliminatórias:
A primeira é a avaliação escrita, com a aplicação de duas provas: uma objetiva, composta por 100 questões de múltipla escolha (P1), e outra discursiva, composta por 5 questões discursivas (P2);
A segunda é o exame de habilidades clínicas.
Quem for aprovado na primeira etapa poderá realizar o exame de habilidades clínicas. Os aprovados na segunda etapa podem revalidar seu diploma e atuar profissionalmente no Brasil.