Putin e membro de comitê apostam em vitória da Rússia nas oitavas

Rússia vê Estádio Luzhniki, em Moscou, como grande trunfo para sua seleção

Rússia vê Estádio Luzhniki, em Moscou, como grande trunfo para sua seleção
Maxim Shemetov/Reuters – 14.6.2018

O presidente Vladimir Putin já havia dado o recado e, na última sexta-feira (29), foi a vez do chefe do COL (Comitê Organizador Local) da Rússia 2018, Alexey Sorokin ratificar: a seleção anfitriã pode surpreender nesta Copa do Mundo.

Veja os confrontos das oitavas de final da Copa do Mundo

Espanha e Rússia se enfrentam no domingo, no Estádio Luzhniki, às 11 horas (de Brasília), pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

Sorokin, que em todos os encontros com a imprensa se orgulha em contar o prazer que é receber a competição mais importante do mundo em sua cidade-natal, disse que a seleção do técnico Stanislav Cherchesov rompeu com o pessimismo da imprensa. Inicialmente, os jornais locais não acreditavam sequer na classificação da equipe no Grupo A, ao lado de Uruguai, Arábia Saudita e Egito.

“Estamos certamente felizes com o time tendo avançado à fase eliminatória. Não é surpresa para ninguém dado que eles se preparam por longos meses. Se vocês olharam o que sai na mídia, vão ver que era dominada por uma cobertura pessimista, de quem não acreditava muito, e agora estão se desculpando. Nós acreditamos neles e, sim, eles foram testados pelo doping e os resultados são públicos no site da Fifa”, disse Sorokin.

Após o mega escândalo estatal de doping, que inclusive tirou atletas russos da Rio 2016, os jogadores da seleção local passaram a ser questionados sobre suas capacidades físicas na Rússia 2018. As suspeitas foram rechaçadas pelo COL, que informou que mais de 2.700 testes foram aplicados em todos os jogadores pelo menos uma vez.

“Os testes são de, no mínimo, quatro jogadores em cada uma das partidas e não tivemos nenhum resultado positivo. Acreditamos que temos uma ótima compreensão do que é o programa antidoping”, complementou o diretor de competições da Fifa, Colin Smith.

Se Sorokin foi mais modesto, o presidente Putin pediu uma semifinal para a equipe. A previsão foi considerada um tanto otimista, já que o time é apenas o 70o no ranking da Fifa.

Além da empolgação dos torcedores locais e das autoridades, a Rússia tem no Luzhniki um grande trunfo para sua campanha de oito gols ao longo dos três jogos da primeira fase (a segunda melhor marca depois dos nove gols da Bélgica). A euforia do maior palco do futebol russo, capaz de receber 78.011 pessoas, foi fundamental para a classificação da equipe. A Rússia já jogou uma vez e, se chegar até a final, fará mais três jogos no local.

Deixaram a desejar: 10 craques que decepcionaram na fase de grupos