Promotores encerram argumentação em julgamento de estupro de Harvey Weinstein


Em nova etapa, advogados do ex-produtor começam a chamar suas próprias testemunhas. Harvey Weinstein chega a tribunal para sequência de seu julgamento nesta sexta-feira (31)
Lucas Jackson/Reuters
Os promotores do julgamento de estupro contra Harvey Weinstein em Nova York encerraram sua argumentação nesta quinta-feira (6), abrindo caminho para os advogados do ex-produtor começarem a chamar suas próprias testemunhas.
As duas primeiras testemunhas de Weinstein seriam o produtor de cinema Paul Feldsher e o diretor e produtor Warren Leight.
Ambos conheceram a atriz Annabella Sciorra, uma das seis acusadoras que prestou depoimento aos promotores.
Outras testemunhas de defesa incluem duas especialistas: Elizabeth Loftus, especialista em memória humana e professora de psicologia na Universidade da Califórnia, e Deborah Davis, professora de psicologia na Universidade de Nevada.
O juiz James Burke disse aos jurados que a argumentação da defesa deve levar cerca de três dias.
Weinstein, de 67 anos, se declara inocente da acusação de estupro contra a ex-aspirante a atriz Jessica Mann e de agredir sexualmente a ex-assistente de produção Mimi Haleyi. Desde 2017, mais de 80 mulheres acusaram Weinstein de má conduta sexual.
Weinstein, que produziu filmes como “O Paciente Inglês” e “Shakespeare Apaixonado”, nega ter feito sexo não consensual.
Seu julgamento é amplamente visto como um marco no movimento #MeToo, no qual mulheres acusam homens poderosos no ramo de negócios, entretenimento, mídia e política de conduta sexual inapropriada.
Os procedimentos de quinta-feira começaram com o interrogatório de Lauren Young, uma modelo e atriz que disse que Weinstein a prendeu em um banheiro de hotel e se masturbou na frente dela enquanto tocava seus seios em 2012. Damon Cheronis, um dos advogados de Weinstein, perguntou a Young várias vezes sobre discrepâncias entre seu testemunho e entrevistas anteriores que ela deu sobre o suposto incidente.
Nas últimas duas semanas, os jurados ouviram depoimentos de Young, Sciorra e quatro outras mulheres.
As alegações de Young não fazem parte das acusações criminais. Ela é uma das três mulheres convocadas pela Promotoria para evidenciar a intenção de Weinstein.