Programa da Uesb desenvolve estudo de embriões para melhoramento genético de caprinos na Bahia


No campus de Vitória da Conquista, cabras são preparadas para gerarem filhotes fecundados a partir de embriões gerados por outras cabras e bodes de alta qualidade. Pesquisa feita na Uesb estuda o melhoramento genético em caprinos
Um programa de extensão da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) desenvolveu um projeto de estudo de embriões para melhoramento genético de caprinos. O objetivo é promover o crescimento regional.
No campus de Vitória da Conquista, cabras estão sendo preparadas para gerarem filhotes fecundados a partir de embriões gerados por outras cabras e bodes de alta qualidade.
A técnica é chamada de transferência de embriões e já existe há um tempo. A novidade do projeto é que o processo está tendo um alcance maior.
Programa da Uesb desenvolve estudo de embriões para melhoramento genético de caprinos na Bahia
Reprodução/TV Sudoeste
O doutor em Ciências Veterinárias Jurandir Ferreira explica como funciona o processo de melhoramento genético.
“O avanço genético, na verdade, é transformar o animal que o produtor tem em um animal mais produtivo. E como a gente consegue essa mágica? A gente faz isso através da geração. Aquele animal que já existe, a gente não consegue modificar, mas a gente consegue modificar suas crias, seus descendentes”, disse Jurandir.
Ele pontua que esse melhoramento é feito em outras duas vertentes: Disponibilizando reprodutores, promovendo o melhoramento das espécies através da inseminação artificial e com a transferência de embriões, que é o processo usado no programa.
Programa da Uesb desenvolve estudo de embriões para melhoramento genético de caprinos na Bahia
Reprodução/TV Sudoeste
“A transferência de embrião consiste em utilizar reprodutores de elite e fêmeas de alta qualidade. Aí a gente produz embriões, pegamos esses embriões já prontos e faz o que a gente chama de inovulação, e faz a deposição dentro do útero daquelas cabras comuns da caatinga”, contou.
Para o projeto piloto da transferência de embriões, a equipe da Uesb está usando 14 cabras nativas da caatinga. Elas são da fazenda de Emerson Meira, criador que mora no município de Mirante, que fica a 135kms de Vitória da Conquista.
“A gente se propôs a colaborar junto com a comunidade, doando essas matrizes [cabras]. Estamos muito empolgados para o resultado final dar certo, porque é uma grande solução de melhorar o rebanho e a agricultura familiar do nosso município”, disse ele.