Profissionais da educação do AP paralisam por falta de acordo em reajuste salarial


Ato acontece no Centro de Macapá na manhã desta terça-feira (27). Profissionais da educação do Amapá paralisam atividades por falta de acordo para reajuste salarial
Carlos Alberto Jr/G1
Profissionais da educação paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira (27), em protesto contra o reajuste salarial anunciado pelo governo do Estado na segunda-feira (26) e por mais condições de trabalho. A paralisação reúne desde 8h servidores públicos da rede estadual no Centro de Macapá.
O governo informou que vai se posicionar sobre o assunto através da Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan), ainda na manhã desta terça-feira.
A organização estima que 1 mil pessoas estejam no local. A paralisação, liderada pelo Sindicato dos Servidores Públicos em Educação no Amapá (Sinsepeap), começou na Praça da Bandeira e seguiu para a frente ao Palácio do Setentrião, sede do governo do Estado.
De acordo com o Sinsepeap, o governo anunciou o reajuste salarial sem entrar em acordo com a categoria, que queriam em torno de 60% de reajuste. Além disso, eles cobram a disponibilidade de plano de saúde e de materiais básicos de aulas, como lousas e ventiladores, por exemplo.
“A categoria da educação está montando essa agenda desde dezembro do ano passado. Uma vez que o governo não faz o reajuste para a categoria. Também trabalhamos com três eixos, que são a valorização do trabalhador, a gestão democrática e a saúde do trabalhador”, citou Kária Cilene, presidente do Sinsepeap.
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Powered by WPeMatico