Produtores de arroz do RS contabilizam prejuízos após clima ruim

Produção menor também significa custos maiores. Quem cultiva diz que cenário foi negativo em 13 dos últimos 15 anos. Produtores de arroz do RS contabilizam prejuízos após clima ruim
Muita chuva e pouco sol. A equação resultou em queda de 15% na produtividade do arroz em Restinga Seca, no Rio de Grande do Sul.
Em todo o estado, o Instituto Riograndense do Arroz, o Irga, estima que a safra será de 7,3 milhões de toneladas, 12% menos do que no ano anterior.
E não é só o clima que tem atrapalhado os produtores. A produção menor também significa custos maiores para a produção.
Segundo os produtores, nos últimos 15 anos, apenas dois tiveram lucro com a venda do arroz. Um levantamento mostra que o preço médio de venda de cada saca de 50 kg é de R$ 38, enquanto o custo é de R$ 45.
“Isso ocasiona uma perda de competitividade do Brasil em relação a outros países, principalmente os países vizinhos do Mercosul que possuem custos de produção mais baixos em relação aos nossos”, disse Pedro Hamann, coordenador do Irga na região.
Um dos maiores concorrentes do arroz produzido no Rio Grande do Sul é o Paraguai, onde, segundo eles, fertilizantes e máquinas são mais baratos.