Produção de motos cai 98% em abril, diz Abraciclo


Com 70% das fábricas paradas por causa da pandemia de coronavírus, setor fabricou apenas 1.479 unidades no mês. Acumulado do ano tem queda de 18,7%. Honda investirá R$ 500 milhões em sua fábrica de motos em Manaus (AM)
Rafael Miotto/G1
A produção de motos no Brasil caiu 98,4% em abril, informou a associação das fabricantes de motocicletas, a Abraciclo. No mês, apenas 1.479 unidades saíram das linhas de montagem, contra 91.226 em abril de 2019.
“A produção do segmento ficou praticamente estagnada em abril, já que 70% das fábricas de motocicletas paralisaram suas atividades produtivas como medida de prevenção e segurança de seus colaboradores diante da pandemia da covid-19”, disse Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, em comunicado.
Ao comparar com março de 2020, quando 102.865 motos foram produzidas, o “tombo” é de 98,6%. No acumulado do primeiro quadrimestre foram fabricadas 299.078 motocicletas, redução de 18,7% na comparação com o mesmo período do ano passado (367.986 unidades).
Com os efeitos da pandemia de coronavírus, a associação refaz as expectativas para 2020. “Não resta dúvida que os resultados do segmento serão impactados pela pandemia da covid-19. Por isso, iniciaremos agora um processo de revisão dos números”, afirmou Fermanian.
Imagem de arquivo da fábrica da Harley-Davidson, em Manaus
Divulgação
Retorno da produção
De acordo com a entidade, no no início de maio metade do total de fábricas de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM), onde fica quase a totalidade das fabricantes de motos no Brasil. Yamaha e Harley-Davidson estão entre as que já retomaram as atividades; Honda e BMW planejam o retorno para o próximo dia 18.
Em meio à pandemia na cidade de Manaus, a Abraciclo afirma que as empresas estão tomando as medidas de prevenção, como as seguintes:
medição de temperatura na entrada;
alteração do layout produtivo de forma a ampliar o espaço físico entre os trabalhadores;
mudanças no sistema de ônibus fretado para assegurar o distanciamento entre os passageiros;
fornecimento de máscara de proteção e álcool em gel 70%.