Procuradores nos EUA abrem investigação sobre efeito do Instagram em crianças


Facebook, que mudou seu nome para Meta, é alvo de críticas sobre seus efeitos em crianças e jovens. Ícone do Instagram.
REUTERS/Thomas White
Uma coalizão de procuradores-gerais estaduais dos Estados Unidos anunciou nesta quinta-feira (18) abertura de uma investigação contra o Facebook, que trocou de nome para Meta, por promover o Instagram entre crianças apesar de potenciais efeitos negativos sobre elas.
A investigação, que envolve pelo menos oito Estados, foi anunciada em um momento em que o Facebook é alvo de críticas sobre seus efeitos em crianças e jovens.
Os procuradores-gerais querem saber se a companhia violou leis de proteção dos consumidores e se colocou jovens em risco.
Representantes do Facebook não comentaram de imediato o assunto.
VEJA TAMBÉM
Entenda: o que é o ‘metaverso’ do Facebook
‘Facebook papers’: quais são as acusações contra a gigante da tecnologia
Em setembro, a companhia anunciou paralisação nos planos de lançar uma versão do Instagram para crianças, em meio a crescentes críticas contra o projeto.
A decisão veio depois que a ex-funcionária Frances Haugen denunciou que a companhia sabia que o Instagram pode ter efeitos prejudiciais sobre a saúde mental de adolescentes.
Facebook demonstra protótipo de luva tátil com foco no metaverso