Presidente do Inep diz que datas do Enem 2020 estão mantidas ‘por enquanto’ e que ‘não dá para fazer previsão’


Em entrevista ao G1, Alexandre Lopes, presidente do Inep afirmou que não é momento de pensar em adiamento. “Com o tempo vamos avaliar, não dá para fazer previsão para o que vai acontecer daqui a 2, 3 meses”. Presidente do Inep, Alexandre Lopes.
Reprodução/TV Globo
As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 começam nesta segunda-feira (11) em meio à polêmica sobre a manutenção do cronograma mesmo no contexto da pandemia do coronavírus.
O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, em entrevista ao G1, reafirmou que as datas estão mantidas e que não é o momento de pensar em adiamento.
Lopes afirma que cada etapa do cronograma será uma etapa, que primeiro eles passaram pela fase da isenção da taxa, agora vem a inscrição.
“Por enquanto as datas estão mantidas, a gente vai fazer as etapas preparatórias, nós estamos cumprindo as etapas. Agora, com o tempo vamos avaliar, não dá para fazer previsão para o que vai acontecer daqui a 2 ou 3 meses. As etapas necessárias nós estamos cumprindo” – Alexandre Lopes, presidente do Inep
Segundo Lopes, após uma reunião com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Conseb), ficou decidido que o Inep fará um relatório diário com todos os inscritos que estão concluindo o ensino médio por município para os secretários estaduais. “Para que eles possam trabalhar com a sua rede e garantir a inscrição dos seus alunos”.
Campanha Enem 2020
O governo lançou uma campanha veiculada na TV, que mostra o posicionamento da pasta frente ao adiamento do exame. A campanha começa com a pergunta “E se uma geração de profissionais fosse perdida?” E afirma que “a vida não pode parar”.
Campanha Enem 2020
Reprodução Ministério da Educação
O vídeo lançado pelo Ministério da Educação foi duramente criticado nas redes sociais e por diversas entidades que alegaram que o governo ignora a situação dos estudantes durante a pandemia.
Initial plugin text
Pedidos de adiamento
Pedidos de suspensão do edital
Desde que o edital do Enem foi divulgado, uma série de pedidos de adiamento vieram de diferentes instituições. O mais recente foi feito por universidades públicas e colégios federais do Rio de Janeiro. o documento assinado por dirigentes de 11 instituições repudia “qualquer tentativa de difundir uma sensação de normalidade falseada”.
Elas defendem que se o cronograma do Enem for mantido, haverá uma ampliação das desigualdades de acesso ao ensino superior.
O Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) também fez um pedido argumentando que a pandemia e as condições de ensino vão agravar as desigualdades do país. Em nota, o Conselho afirma que os estudantes das escolas públicas serão os mais afetados pelo não adiamento do exame.
“Para o Consed, a manutenção do calendário publicado, especialmente das datas de realização das provas, deverá ampliar as desigualdades entre os estudantes do Ensino Médio em todo o país no acesso às instituições de Ensino Superior. Mesmo considerando as soluções e ferramentas que estão sendo implantadas nas redes privadas e públicas para minimizar as perdas do período de suspensão das aulas presenciais, elas não chegarão para todos os estudantes brasileiros, especialmente os mais carentes” – diz a nota.
A União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) pediram suspensão do edital e afirmaram que o Ministério da Educação e o Inep não demonstram “sensibilidade para o momento”.
Ação pediu adiamento
No último dia 17 de abril, a Justiça Federal decidiu que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela organização do exame, promovaovesse adequações no cronograma do Enem 2020.
No dia 22 de abril, o Inep anunciou mudanças no calendário do Enem 2020. A principal alteração é o adiamento da versão digital, que seria realizada nos dias 11 e 18 de outubro para os dias 22 e 29 de novembro. A versão presencial, não foi alterada.
No dia 28, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região decidiu que o cronograma do exame não deveria ser modificado.
Veja o cronograma com as principais datas do Enem
Pagamento da taxa de inscrição: 11 a 28 de maio
Inscrições: 11 a 22 de maio
Solicitação de atendimento especializado do Enem impresso: 11 a 22 de maio
Solicitação para tratamento pelo nome social: 25 de maio a 1 de junho
Divulgação do Cartão de Confirmação da Inscrição, com os locais de prova: A definir data em outubro
Provas presenciais: 1 e 8 de novembro
Gabarito e divulgação dos cadernos de questões: 11 de novembro
Provas Enem digital: 22 e 29 de novembro
Divulgação do gabarito do Enem digital: 2 de dezembro
Resultado individual: janeiro de 2021
Vídeos
A desigualdade dos números do Enem
Os estudantes estão preocupados com o Enem previsto para novembro
Initial plugin text