Por baixo do portão: veja histórias de quem quase perdeu o Enem 2021


Houve quem passasse por baixo do portão enquanto ele fechava até gente que enfrentou três dias de viagem de barco. Milhões de inscritos fizeram, no domingo (21), o Enem 2021. Para vários deles, ao redor do país, a chegada na sala de prova foi por pouco – ou se tornou uma jornada épica: houve quem passasse por baixo do portão enquanto ele fechava até gente que enfrentou três dias de viagem de barco.
Veja, abaixo, algumas histórias de quem quase perdeu o Enem ou de quem enfrentou obstáculos a mais para chegar ao local de prova:
Por baixo do portão
Em Mato Grosso e no Maranhão, as cenas foram quase iguais: dois candidatos passaram pelo portão de prova enquanto ele fechava. Nos dois estados, quem estava do lado de fora, dando apoio aos inscritos, comemorou.
Em Cuiabá, o candidato se arrastou pelo chão enquanto o portão descia:
Estudante consegue entrar no local de prova segundos antes do fechamento total do portão
Em São Luís, a candidata não precisou se arrastar – porque o portão fechava na horizontal –, mas entrou com poucos centímetros de espaço:
VÍDEO: Aluna em local de prova segundos antes dos portões serem fechados em São Luís
No Piauí, a candidata Bruna Karine, de 23 anos, também não precisou se arrastar, mas quase ficou de fora da prova. Ela esqueceu o RG e, graças a uma boa ação, conseguiu entrar para fazer o Enem um minuto antes de o portão fechar:
Jovem que recebeu RG 1 minuto antes do portão fechar fala sobre prova
Três dias de barco
Se a falta de transporte público aos domingos é um transtorno para a vida de muitos alunos nas cidades, nas zonas rurais não fica mais fácil.
Saindo da comunidade quilombola Jaú Tambor, no Parque Nacional do Jaú, no Amazonas, 10 estudantes precisaram viajar três dias de barco para fazer a prova em Novo Airão, na margem do Rio Negro, 200km a noroeste de Manaus.
Segundo a coordenadora regional de educação da área, Neliany Menezes, os jovens saíram da comunidade na quarta-feira (17) e chegaram ao município, de cerca de 20 mil habitantes, na manhã de sábado (20). Foram mais de 700 litros de combustível. Para enfrentar a jornada, eles levaram redes, camas e até um fogão dentro do barco:
Estudantes viajaram três dias de barco para chegar em Novo Airão
Divulgação/Arquivo Pessoal
Ajuda de bombeiro
Em Pernambuco, uma candidata passou mal e precisou da ajuda de bombeiros para entrar no local de prova. Ela passou mal após descobrir que tinha errado o local de prova e ficou nervosa, por achar que não iria conseguir chegar ao prédio correto. Depois de ser atendida pelos bombeiros, a candidata se recuperou a tempo de fazer o Enem.
Enem 2021: candidata passa mal e bombeiro a ajuda a entrar em local de prova no Recife
No mesmo local de prova, uma mãe recém-operada não hesitou em correr 800 m com a filha, de 17 anos, para que ela conseguisse chegar a tempo de fazer o exame. As duas alcançaram o portão dois minutos antes de ele fechar.
Cidade errada
O candidato Lucas Ortiz Alves, de 20 anos, não precisou pegar um barco, mas encarou 6 horas de viagem à noite em um ônibus de São Paulo (SP) até Franca, no interior do estado, para fazer o Enem. Ele escolheu a cidade errada na hora de se inscrever no exame.
Ao chegar na cidade, ele foi andando até o local de prova, porque não conseguiu pegar o ônibus que o levaria até lá.
Além de ter viajado a madrugada toda, Lucas Ortiz Alves caminhou por mais de uma hora da rodoviária de Franca, SP, até o local de prova
Ana Laura Siqueira/g1
“Vim andando. Deu uma hora e vinte minutos. Por isso eu estou sem tênis. Tirei o tênis para dar uma descansada porque o pé está doendo”, disse Lucas, sentado na calçada e com os pés apenas de meia, no domingo (21).
1º dia do Enem teve textos longos, citação a ‘Admirável Gado Novo’, redação elogiada e abstenção menor
Initial plugin text