Polícia recolhe equipamentos de filmagem de balada onde jovem foi espancado por R$ 15 em SP


Casa muda versão novamente e diz que parte das imagens de monitoramento foi recuperada. Universitário segue internado em estado. Local não tinha alvará. Peritos fazem análise em casa noturna onde jovem foi agredido em Santos, SP
Solange Freitas/G1
Peritos da Polícia Científica recolheram os equipamentos que gravam as imagens captadas pelas câmeras de monitoramento do bar e casa noturna Baccará Backstage, nesta quarta-feira (11), em Santos, no litoral de São Paulo. Um universitário foi espancado por seguranças do local ao contestar valor da conta.
A confusão aconteceu durante a madrugada de sábado (7), dentro e fora do imóvel, localizado na Avenida Oswaldo Cochrane, no bairro Embaré. Ao G1, o pai do jovem contou que amigos que estavam com o estudante relataram que o filho foi ao caixa para pagar a conta, quando notou a cobrança de R$ 15 a mais na comanda.
Na reclamação, houve discussão e briga entre os clientes e os vigilantes do local. Inicialmente, a casa noturna, por meio da assessoria jurídica, negou que os funcionários tivessem participado. Entretanto, o defensor da empresa mudou a versão na terça-feira (10) e admitiu o envolvimento de seguranças.
Imagens mostram início da briga entre clientes e segurança em casa noturna de Santos, SP
O caso é investigado pela equipe do 3º Distrito Policial, que já identificou os três seguranças envolvidos: um segurou o cliente, outro deu socos nele e o terceiro é chefe de ambos, que se omitiu diante da situação. Nenhum deles foi indiciado até esta quarta-feira, mas o inquérito apura eventual tentativa de homicídio.
Contrariando também a versão inicial, a casa informou à polícia que conseguiu recuperar imagens das câmeras de monitoramento, cujo sistema está em processo de modernização. Para verificar se houve alterações, peritos foram deslocados ao imóvel nesta quarta e recolheram os equipamentos de gravação para análise.
“O representante do estabelecimento nos disse que as câmeras não estavam funcionando. Estamos checando isso para verificar se, de fato, é verdade”, afirmou o delegado Luiz Henrique Artacho. A polícia também espera receber imagens captadas por testemunhas, mesmo que de forma anônima, para ajudar no caso.
Peritos e policiais estiveram em casa noturna em Santos, SP
Solange Freitas/G1
Um trecho das imagens mostra o que aparenta ser o início da briga entre os clientes e funcionários. No vídeo, é possível notar, próximo ao caixa, empurrões e socos trocados entre pessoas diversas. Em seguida, o grupo segue pelo corredor até a área externa da casa, onde Lucas teria caído ao chão.
A Santa Casa de Santos informou que o quadro de saúde do universitário Lucas Martins de Paula permanece crítico. “O paciente está em estado grave, sedado, com monitorização da pressão intracraniana, no segundo pós-operatório de drenagem de hematoma intracraniano, em coma induzido”, declarou em nota.
Além de Lucas, outros dois amigos dele foram enquadrados como vítimas. Ambos não precisaram de atendimento médico. O advogado da casa noturna afirmou que a conta de somente uma das pessoas do grupo foi paga. “Já entramos em contato com o pai do jovem para nos colocarmos à disposição”, afirmou o defensor.
Lucas, de 21 anos, segue internado em estado grave em hospital de Santos, SP
Arquivo Pessoal
Atividades suspensas
Fiscais da prefeitura intimaram os proprietários do bar e casa noturna Baccará a encerrar as atividades, no fim da tarde de terça-feira. “O estabelecimento teve o alvará de funcionamento negado, em virtude de suas instalações descumprirem a legislação municipal”, informou a municipalidade, em nota.
Segundo a chefe da Seção de Fiscalização Dirigida, Gisleine Pontes, que coordenou uma vistoria com integrantes da Secretaria de Finanças (Sefin), Vigilância Sanitária, Guarda Municipal e Ouvidoria, a casa possui estrutura irregular. Caso a ordem seja desobedecida, poderá ser aplicada multa de até R$ 10 mil.
Documentos aos quais o G1 teve acesso indicam, entretanto, que a Prefeitura de Santos nunca emitiu um alvará definitivo para o funcionamento legal do local. Após a repercussão do caso, fiscais da municipalidade intimaram os proprietários a encerrarem as atividades até que adequações sejam feitas no imóvel.
O advogado do estabelecimento, João Armôa Júnior, disse estar ciente da intimação feita pela prefeitura, mas afirma que a casa está regularizada. “Vamos fazer as adequações necessárias para que a casa volte a funcionar em até uma semana. São intervenções rápidas de serem feitas”, declarou.
Donos do bar foram intimados a encerrar as atividades em Santos, SP
José Claudio Pimentel/G1