Plataforma Lattes pode voltar a ser acessível no começo da próxima semana, estima presidente do CNPq


Evaldo Vilela diz que trabalho de migração prossegue durante final de semana, e que nada foi perdido. ‘Preservamos todos os dados, e temos que retirá-los com certa cautela. Não podemos ‘apressar’ o equipamento. Mas estamos conseguindo’, garante. Evaldo Vilela, presidente do CNPq
Reprodução/Youtube/CNPq
O acesso à Plataforma Lattes pode se tornar novamente possível no início da próxima semana, estima o presidente do CNPq, Evaldo Vilela.
“É nossa prioridade absoluta, está preservado, não perdeu dado nenhum, temos os backups, e temos uma perspectiva de tê-lo completo muito em breve. Neste final de semana continuaremos a trabalhar para restabelecer o Lattes logo no início da semana, se Deus quiser, com toda sua atualização e toda sua performance”, afirmou Vilela, em vídeo publicado pelo Conselho em seu canal oficial nesta sexta-feira (6).
Ainda de acordo com o presidente do CNPq, o problema aconteceu em um equipamento antigo, durante um processo de migração para storages novos, que foram adquiridos no final do ano e entregues no primeiro semestre.
Ele explicou que um dos antigos equipamentos onde os dados estavam armazenados “apagou”, de certa maneira, mas foi recuperado, sem que nada de seu conteúdo tenha sido perdido. “Mas ele está lento. Então temos que tomar muito cuidado porque preservamos todos os dados, e temos que retirá-los com certa cautela. Não podemos ‘apressar’ o equipamento. Mas estamos conseguindo”, garantiu.
Vilela garantiu ainda que estão sendo tomadas providências para que problemas futuros sejam evitados. “Já reservamos recursos e tem inclusive algumas universidades que estão se preparando para nos ajudar com seus departamentos de TI para que tudo seja reformado, atualizado, vamos colocar muito mais coisas nas nuvens também”, adiantou.
Plataforma Lattes
O Lattes foi uma das áreas afetadas por um problema que retirou do ar todos os sistemas e plataformas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), órgão ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, identificado no dia 23 de julho.
A Plataforma Lattes reúne quatro sistemas onde cientistas, professores e pesquisadores do Brasil devem registrar seus currículos para conseguirem bolsas de pesquisa, vagas em universidades e participarem de editais e concursos. O órgão garante que o pagamento das bolsas não será afetado e não depende da restauração completa dos sistemas.
Exemplo de currículo de pesquisador cadastrado na plataforma Lattes, do CNPq.
Reprodução
Na terça-feira (3) foi restabelecido o acesso parcial aos sistemas e plataformas com currículos de pesquisadores no Brasil. Não é possível ainda, porém, fazer atualizações, mas estão disponíveis as opções de impressão e download.
A consulta ao currículo é possível por meio do acesso direto ao currículo a partir do ID Lattes, escrevendo, no campo de endereço do seu navegador: http://lattes.cnpq.br [número do ID], ou por meio de busca textual pelo endereço: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual.
Veja também:
Brasil deixa milhares de cientistas no limbo
Fiquei desesperado, diz estudante do CE que concorre a doutorados
Pesquisador da Ufal teme perder um ano de trabalho
Na UnB, pesquisadores temem problemas em financiamento
CNPq irá incluir período de licença maternidade e paternidade no currículo Lattes
O CNPq, a agência federal de fomento à pesquisa, tem a maior e mais importante plataforma científica do Brasil, reunindo toda a produção cientifica nacional, como projetos, pesquisas e trabalhos desenvolvidos por pesquisadores e universidades brasileiras. O órgão também é responsável pelo pagamento de bolsas a cientistas no país.
Mulheres cientistas comentam sobre como conciliar maternidade, trabalho e pesquisas
Vídeos: os 10 mais vistos da semana