Pioneiro na música religiosa, Padre Zezinho lança 116° disco da carreira aos 77 anos


Álbum apresenta novas composições interpretadas por ele e por seminaristas. Além da música, ele se dedica a dois projetos de livros. Pioneiro na música religiosa, Padre Zezinho lança 116° disco da carreira aos 77 anos
Reprodução/ Instagram
Padre Zezinho é o dono do título de pioneiro entre os padres cantores, mas está longe de se contentar com o que já fez até agora. Inquieto, aos 77 anos ele acaba de lancar seu 116° disco e se dedica simultaneamente a dois projetos de livros.
O novo disco, intitulado “Amigos do coração – Pe. Zezinho, scj, e Dehonianos em canção”, tem 14 composições inéditas dele e uma regravação.
“Este é um projeto que tem mais ou menos quatro anos. Temos aqui no Conventinho [em Taubaté] uma faculdade e queria fazer um álbum cantado também pelos seminaristas e jovens padres para homenagear as pessoas que vêm refletir conosco. Por isso o título ‘Amigos do Coração'”, conta.
Padre Zezinho durante a gravação do 116° disco
Reprodução/ Instagram
Primeiro padre cantor a fazer sucesso no mercado fonográfico – no molde que mais tarde consagrou os padres Marcelo Rossi, Fábio de Melo e Reginaldo Manzotti -, ele teve suas músicas regravadas por diversos artistas, como Elba Ramalho, Joanna, Zeca Baleiro, Luan Santana e Daniel.
“É por esse legado que a proposta deste disco era valorizar os futuros padres que estudam aqui. E é o meu jeito de dizer que esse trabalho que comecei vai continuar”, conta.
Vida pós AVC
Em 2012 ele sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que o deixou sem voz por sete meses. Após se recuperar, ele voltou a compor, cantar e escrever, mas não retornou aos palcos como antes.
“Parei de fazer shows por causa do AVC, mas é para dar continuidade aos shows que esse grupo com jovens padres foi formado. Para o disco, eu gravei no estúdio que é onde eu consigo cantar. O problema do palco é que o retorno atinge meu ouvido que ficou mais sensível após o AVC”.
Quando não está envolvido em um novo projeto musical, ele se dedica aos livros, em especial os sobre comunicação. Atualmente ele escreve “Náufragos da Comunicação” e “Meu Cristo é mais Cristo que o seu Cristo”.
“Esse título é intencionalmente provocador para abordar quem evoca a igreja como se fosse uma competição. A missão não é só comunicar, é ensinar a comunicar”, finaliza.
Pioneiro na música religiosa, Padre Zezinho lança 116° disco da carreira aos 77 anos
Reprodução/ Instagram