Piloto automático de Tesla estava acionado em acidente na Califórnia


Aly Song/Reuters – 16.04.2019

O Conselho Nacional de Segurança em Transportes (NTSB) disse nesta terça-feira (3) que um Tesla Model S estava no modo de piloto automático e as mãos do motorista estavam fora do volante quando ele atingiu um caminhão de bombeiros em Culver City, Califórnia, em um de uma série de acidentes que o conselho está investigando envolvendo o sistema de assistência ao motorista da Tesla.    

O sistema de piloto automático modelo S de 2014 foi acionado continuamente nos 13 minutos e 48 segundos finais da viagem antes que o veículo atingisse um caminhão de bombeiros estacionado na Interstate-405 em janeiro de 2018, informou o conselho de segurança da NTSB em documentos publicados nesta terça-feira.

O conselho planeja emitir um relatório detalhando a provável causa do acidente na quarta-feira.

O motorista manteve as mãos fora do volante durante 51 segundos do segmento de tração final e recebeu vários alertas para colocar as mãos no volante, mostraram os documentos. A Tesla Inc não comentou imediatamente.    

O caminhão de bombeiros estava desocupado e o motorista não ficou ferido no incidente.    

“Eu estava tomando um café com um bagel. E tudo o que me lembro, aquele caminhão, e então vi o estrondo no meu rosto e foi isso”, disse o motorista ao NTSB.    

O relatório diz que o Tesla estava seguindo um veículo por um período prolongado a uma velocidade de 33,8 km/h quando o veículo à frente mudou de faixa segundos antes do acidente    

Depois que o veículo na frente mudou, o Tesla começou a acelerar em direção à velocidade de cruzeiro controlada de 80 mph (129 km/h) e atingiu o caminhão estacionado enquanto andava a 30,9 mph. O sistema não detectou as mãos do motorista no volante nos últimos 3 minutos e 41 segundos do acidente.    

Ele não se lembrava exatamente do que estava fazendo no momento do acidente, mas poderia estar trocando o rádio ou tomando café. Os registros mostram que o motorista não estava usando o celular para enviar mensagens de texto ou falar no momento do acidente, disse o NTSB.    

O piloto automático da Tesla estava acionado durante pelo menos três acidentes fatais nos EUA, incluindo acidentes fatais em março de 2018 de um modelo 3 de 2018 em Delray Beach, Flórida e em Mountain View, Califórnia, de um modelo X. Ambos os acidentes permanecem sob investigação pelo NTSB e a administração nacional de segurança rodoviária. As agências também estão investigando outros acidentes e incêndios de baterias envolvendo veículos da Tesla.